*
 

Na reta final da janela partidária, a abertura do Congresso da Rede em Brasília foi marcada por um forte apelo da militância para que os senadores Reguffe (sem partido-DF) e Cristovam Buarque (PPS-DF) se filiassem à sigla. Nessa sexta-feira (6/4), os parlamentares estavam na primeira fileira da plateia, como convidados, e foram cortejados por praticamente todos que subiram ao palco. “Vem pra Rede”, gritavam.

No último dia para que os políticos troquem de agremiação sem serem penalizados com a perda do mandato, a Rede perdeu dois de seus cinco parlamentares: Aliel Machado (PR) e Alessandro Molon (RJ) foram para o PSB.

Com o desfalque, Marina Silva e candidatos ao governo perdem a garantia de um convite aos debates em televisão. Ainda podem participar, mas caberá à empresa televisiva decidir.

O apelo mais direto veio do deputado federal Miro Teixeira (RJ). “Por favor, nessa hora, nos ajudem a dizer ‘não’ àqueles que estão desde já sabotando a Marina”, disse.

O mandato do senador Cristovam termina em 2018, mas Reguffe tem mais quatro anos no Congresso. “Você veio para a Rede antes de mim. Não vamos pedir pra você vir para a Rede. Vamos pedir para você formalizar o que já é”, disse o senador Randolfe Rodrigues (AP) a Reguffe.

Elogios
O senador do Distrito Federal, à época no PDT, ajudou a coletar assinaturas para a Rede. Em seu discurso, Marina contou que foi o próprio Reguffe quem compareceu à casa dela e a convenceu a criar seu próprio partido. “Ele me convenceu e eu agradeço”, afirmou.

Em resposta, nenhum dos dois indicou nos discursos a assinatura da ficha de filiação. Cristovam disse que vai insistir para sua sigla apoiar Marina. Reguffe também rasgou elogios, mas não confirmou sua entrada no partido.

“Em vez de dizer: ‘vem pra Rede’, vou querer levar a Rede para o partido em que estou. Talvez seja muito mais útil do que eu ir pra Rede”, afirmou o senador do DF.

 

 

COMENTE

ReguffeCristovam Buarquejanela partidária
comunicar erro à redação

Leia mais: Política