*
 

A Delegacia Especial de Repressão aos Crimes contra a Administração Pública (Decap), da Polícia Civil, investiga se a distrital Liliane Roriz (PTB) é dona de uma empresa fantasma que teria a finalidade de lavar dinheiro. Delatora do suposto esquema de corrupção na Câmara Legislativa que culminou na Operação Drácon, Liliane é sócia de uma companhia que existe apenas no papel.

Aberta em 27 de outubro de 2015 com capital social de R$ 30 mil, a Eventual Investimentos multiplicou as cifras em pouco tempo. Hoje, esse valor chega a R$ 409 mil. A companhia é de Liliane e do marido, Matheus Bastos Guimarães. O endereço que consta do Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) é a Rua 93-A nº 222, no Setor Sul de Goiânia. No entanto, o local abriga um prédio onde funciona a sede da Exímia Serviços Contábeis, além de outras quatro empresas.

No último dia 14, o Metrópoles esteve em Goiânia, onde constatou que não existe nenhuma Eventual Investimentos no endereço informado à Receita Federal. Uma secretária ouvida pela reportagem explicou que a Exímia funciona no prédio há pelo menos três anos.

Carlos Carone/Metrópoles

Edifício onde deveria funcionar a Eventual Investimentos, de Liliane Roriz e do marido em Goiânia

 

Centro de Estética
A Exímia e as outras empresas que estão no edifício são vinculadas a Elinaldo Miranda Cruz. Um detalhe curioso é que ele é o contador da Eventual. Cuidar da contabilidade da empresa de Liliane Roriz e do marido não é o único laço de Elinaldo com a família da distrital. O contador, que figura no quadro societário de pelo menos 14 empresas, tem um empreendimento na QI 11 do Lago Sul: o centro de estética Bela Pele.

Segundo funcionárias ouvidas pela reportagem, ninguém que trabalha no local conhece Elinaldo. O “patrão”, diz uma cabeleireira, é Matheus Bastos Guimarães. Mas o marido de Liliane Roriz não consta como sócio do centro de estética.

Editoria de Arte/Metrópoles

 

Evolução patrimonial
Todas essas relações serão investigadas pela Polícia Civil. Mas um dos detalhes que mais chamam a atenção, segundo um agente da Decap, é o aumento expressivo do capital social da Eventual Investimentos em tão pouco tempo. No Imposto de Renda (IR) da deputada referente ao exercício de 2015, consta um aporte de R$ 219.008,06. Porém, esse acréscimo vultoso não foi justificado na declaração de IR da parlamentar, disponibilizada no Diário da Câmara Legislativa.

As circunstâncias que envolvem a criação e a conduta da empresa Eventual Investimentos são suspeitas e precisam ser checadas. Não descartamos a hipótese de lavagem de dinheiro"
Investigador da Decap

“Escritório virtual”
Questionada pelo Metrópoles, Liliane negou quaisquer irregularidades. “No endereço em Goiânia funciona um escritório virtual. É um espaço físico de uso de endereço comercial que vem com um pacote de serviços, como atendimento telefônico personalizado em nome da minha empresa e gerenciamento de correspondência. Esse escritório virtual é administrado pela Exímia”, afirmou a parlamentar, por meio de assessoria de imprensa.

Já o marido de Liliane explicou que a Eventual existe para administrar o patrimônio do casal. “A Eventual é uma empresa com atividade de investimentos. Nasceu com o propósito de gerenciar os meus ativos e os da minha companheira através de uma pessoa jurídica. Hoje, sou a pessoa que cuida desse patrimônio, logo, ela não possui empregados”, explicou Matheus Bastos Guimarães à reportagem.

Elinaldo Cruz foi procurado diversas vezes para comentar o assunto. Entretanto, não retornou as ligações da reportagem em nenhum dos números que constam dos cadastros das empresas em nome dele.

 

 

COMENTE

Liliane Rorizoperação drácon
comunicar erro à redação

Leia mais: Política