*
 

Após enfrentar desgaste causado pela suspensão das eleições do PSDB-DF, o presidente do diretório regional da legenda e pré-candidato a governador do Distrito Federal, Izalci Lucas, reuniu-se com integrantes do grupo capitaneado pelo senador Cristovam Buarque (PPS) a fim de acalmá-los. Aos aliados, o deputado federal disse, nesta quarta-feira (30/5), que não apresentará novo recurso na Justiça e assegurou: a Executiva Nacional o nomeará novamente como presidente do partido na capital da República.

Nos bastidores, pegaram mal as derrotas no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT). Com o fôlego prometido pela decisão da direção do ninho tucano, Izalci espera manter a aliança formada por PSDB, PPS, PSD, PRB, PMB, PSDC, PSC, Patriota e PSL.

O mandato do parlamentar à frente do PSDB-DF, conforme registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), encerra-se nesta sexta-feira (1º/6). Mesmo sem eleição, o partido não pode ficar sem comando. Por isso, a Executiva pode intervir e empossar uma comissão provisória.

A assessoria de imprensa do presidente do PSDB, Geraldo Alckmin, informou que a
direção temporária será formalizada na segunda-feira (4/6). No entanto, somente Alckmin poderia confirmar quem será o presidente provisório. Contudo, ele estava incomunicável nesta quarta (30/5).

Também procurado, o secretário-geral da legenda, deputado federal Marcus Pestana (MG), reiterou a candidatura de Izalci ao Palácio do Buriti. “Há setores que permanecem, dentro do PSDB, a serviço de outra candidatura só pra criar obstáculos ao nosso palanque. O estatuto nos permite [reconduzir Izalci], e assim será feito”, garantiu. Provocado pela reportagem, contudo, sobre um novo mandato-tampão para Izalci no comando do PSDB-DF, Pestana despistou. “Não sei a configuração exata e concreta. Mas a decisão quanto a 2018 está tomada”.

Integrantes do ninho tucano marcando posicionamento contrário ao atual comando do partido garantiram ao Metrópoles que, caso o peessedebista seja reconduzido à direção da agremiação, vão ingressar no TSE contra a medida, considerada por eles como “ilegal”.

Relembre o caso
Poucos dias após Izalci Lucas ser lançado pré-candidato do grupo de Cristovam, o juiz Caio Brucoli Sembongi, da 17ª Vara Cível do TJDFT, determinou a suspensão do edital de convocação dos filiados para as eleições internas do PSDB-DF, por considerar que não foram realizadas consultas zonais prévias, contrariando a norma do partido.

Izalci recorreu e perdeu. Na decisão, o magistrado desconsiderou a argumentação da defesa do atual comando do ninho tucano e acolheu o pedido do filiado que moveu a ação. Ele alega suposto equívoco a respeito da escolha de data para a realização das convenções.

“O edital de convocação dessa convenção deve ser publicado com antecedência de 25 dias em relação ao ato. Mas, ao contrário do que quer o réu, mesmo em não se tratando de prazo processual, o prazo deve ser contado com exclusão do dia inicial e inclusão do dia final”, registrou o juiz.