GDF acusa Laerte Bessa de agredir subsecretário da Casa Civil com soco

Deputado nega agressão e diz que houve apenas exaltação de ânimos por conta de desavenças na aprovação de uma emenda

ANTÔNIO CRUZ/AGÊNCIA BRASIL

atualizado 24/05/2018 8:02

O deputado federal Laerte Bessa (PR) protagonizou uma cena de baixaria na Câmara dos Deputados na tarde dessa quarta-feira (23/5). Durante bate-boca com o subsecretário de Articulação Federal da Casa Civil do Distrito Federal, Edvaldo Dias da Silva, o parlamentar teria desferido um soco contra o representante do GDF, conforme acusou o Palácio do Buriti em nota divulgada horas após o incidente.

Conforme informou ao Metrópoles o secretário de Comunicação do GDF, Paulo Fona, o subsecretário levou o golpe no peito após apresentar um documento que ia de encontro a uma emenda do congressista. O texto de Bessa mudava a destinação do Fundo Constitucional, responsável por custear toda a segurança pública do DF e parte da saúde e da educação.

Irritado, Bessa ameaçou o subsecretário e foi até a mesa do relator, onde teria pegado e rasgado o documento apresentado pelo GDF. O texto trazia argumentos contrários à emenda de Bessa para alocar mais recursos para as forças de segurança, alegando que a medida deixaria desassistidas as áreas de saúde e educação, também dependentes do fundo.

Ao Metrópoles, Bessa negou ter agredido Silva, mas confirmou a discussão. “A mando do governador, ele persegue nossos projetos. Eu estava lutando por uma emenda que ajustava a divisão de porcentagem do Fundo Constitucional, como sempre foi feito por todos os governos anteriores: 65% para a segurança pública e 35% para saúde e educação. Mas ele [Rollemberg] faz o contrário e ainda está usando esse dinheiro para pagar dívidas do governo dele”, reclamou.

De acordo com o deputado, o servidor da Casa Civil “vive atrapalhando o andamento de projetos da bancada do DF”. O parlamentar também acusa o governo de ter apresentado um documento contendo mentiras sobre o déficit na saúde e educação caso fossem realocados recursos dessas áreas para a segurança. “Eu não conheço esse camarada, mas ele sempre mete o bico e mostra um documento falso”, dispara.

Por meio de nota, o GDF denunciou a agressão, a qual chamou de infame e covarde, contra o subsecretário da Casa Civil. O governo afirmou que entrará com um pedido de ação disciplinar e ética contra Bessa.

Para o Palácio do Buriti, o deputado federal agiu de forma intempestiva ao agredir com um soco o subsecretário do GDF que, no estrito dever legal de suas funções, encaminhara um entendimento contra uma emenda do parlamentar.

Confira a íntegra da nota:
O Governo de Brasília denuncia e protesta contra a infame agressão do deputado federal Laerte Bessa contra o subsecretário de Articulação Federal da Casa Civil, Edvaldo Dias da Silva, na Comissão Mista do Congresso Nacional que analisa a Medida Provisória 821, que trata da criação do Ministério da Segurança.

De forma intempestiva, o deputado federal agrediu com um soco o subsecretário do GDF que, no estrito dever legal de suas funções, encaminhara um entendimento contra uma emenda do parlamentar.

O Governo de Brasília não aceita esse tipo de atuação covarde, que não é digna de alguém que recebeu um mandato parlamentar da população, e que agindo dessa maneira envergonha a representação política.

É uma agressão à democracia, à independência dos poderes e ao Congresso Nacional, que receberá formalmente do Governo de Brasília um pedido de uma ação disciplinar e ética contra o deputado federal brasiliense.

Últimas notícias