Cristovam Buarque desdenha da candidatura de Izalci ao Senado

Segundo o senador, tucano havia prometido rasgar o diploma caso tivesse que disputar cargos para o Congresso Nacional

Vinícius Santa Rosa/MetrópolesVinícius Santa Rosa/Metrópoles

atualizado 31/07/2018 23:32

O pré-candidato ao Palácio do Buriti Rogério Rosso (PSD) e o senador Cristovam Buarque (PSB) desdenharam do anúncio de que o agora ex-aliado Izalci Lucas (PSDB) será candidato ao Senado na chapa de Alberto Fraga (DEM). O tucano havia rejeitado concorrer ao cargo na chapa da terceira via, mas acabou mudando de ideia, na terça-feira (31/7), ao ser convidado pelo ex-policial militar.

“Por várias vezes, ele [Izalci] disse que rasgaria o diploma caso fosse candidato ao Senado ou a deputado federal novamente, por não aguentar mais o Congresso Nacional. Estava de saco cheio”, recordou Cristovam. “Ele já estava fora do grupo. A ida dele para a composição com Fraga não muda nada para nós”, completou.

Mais comedido, o deputado federal Rogério Rosso, que tomou o posto de Izalci como cabeça de chapa da terceira via, disse respeitar a decisão do tucano. “Acho que ele tem absoluta liberdade de ser candidato ao que bem entender. Como sempre foi em nossa coligação, vou respeitar a decisão dele. Não ficam mágoas”, declarou Rosso.

Divisões
A escolha do nome de Rogério Rosso irritou Izalci. O tucano disse na oportunidade que não havia sido consultado nem pelo colega de parlamento tampouco por Cristovam, e que manteria a pré-candidatura ao Palácio do Buriti, mesmo saindo sozinho.

Isolado, Izalci saiu do grupo e passou a negociar com outras chapas. Além do grupo liderado por Fraga, a coligação de Eliana Pedrosa (Pros) e Alírio Neto (PTB) também tinham interesse no tucano.

Um dos motivos a tirar força de Izalci Lucas foram disputas internas do PSDB. Militantes foram à Justiça pedir a saída do deputado federal da presidência do partido. Até o presidente nacional da sigla, Geraldo Alckmin, já negociava com outras legendas a desistência do tucano brasiliense.

A saída de Izalci foi dar uma guinada nas pretensões e fechar a pré-candidatura ao Senado, o que deve ser oficializado na convenção do partido, no fim de semana.

Últimas notícias