Alexandre Guerra e General Paulo Chagas firmam “pacto” pelo Buriti

Candidatos ao GDF disseram que, se um dos dois vencer a disputa, “a composição do governo caberá a ambos”

JP Rodrigues/Especial para o MetrópolesJP Rodrigues/Especial para o Metrópoles

atualizado 28/09/2018 18:56

Os candidatos ao Governo do Distrito Federal (GDF) Alexandre Guerra (Novo) e General Paulo Chagas (PRP) anunciaram, na tarde desta sexta-feira (28/9), a criação da aliança política “Ficha limpa, passado limpo”. Os dois disseram que, se algum deles vier a ser eleito, o outro terá participação ativa no Executivo. “A composição do governo caberá a ambos”, diz trecho de documento assinado pelos postulantes ao Palácio do Buriti.

De acordo com o general Paulo Chagas, o compromisso firmado nesta sexta será registrado em cartório, com o objetivo de mostrar para o eleitor que apenas os dois mantêm afinidade política e de ideias.

“As pesquisas mostram que a velha política está com chances de chegar ao governo. O DF não quer mais isso”, endossou Alexandre Guerra.

Questionados sobre a possibilidade de aceitarem apoio de alguém ligado à “velha política” num hipotético segundo turno, os buritizáveis não a descartaram, mas com uma ressalva. “Isso é problema deles. O problema desses nomes é que eles sempre declaram apoio depois de exigir muitas coisas. Se isso ocorrer, nós não aceitaremos”, disse o general da reserva.

Sobre a hipótese de desistência de algum deles em detrimento do outro, o herdeiro do grupo Giraffas afirmou não ter acordo com o agora aliado, por causa de compromissos firmados com eleitores. “Nas nossas pesquisas, aparecemos com 6%, mas podemos crescer”, disse Guerra. De acordo com a mais recente pesquisa Ibope, o militar tem 3%, e o empresário da rede de fast-food, 2%.

Últimas notícias