*
 

Esta sexta-feira (6/7) é o último dia previsto pela legislação eleitoral para que candidatos participem de inaugurações de obras. Aproveitando a derradeira oportunidade de marcar presença e bater ponto em eventos, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), mais uma vez turbinou a agenda. Entre os compromissos, tem até inauguração de jardim e de campinho de grama sintética, em Taguatinga.

A agenda começa cedo. Às 6h30 o socialista entrega a via de ligação entre a L4 e a W3 Norte. O cronograma segue com as inaugurações da Unidade Básica de Saúde nº3, no Paranoá Parque; do Banco de Leite Humano; e da Unidade Básica de Saúde nº 9, em Brazlândia. Antes do almoço, o governador assina a regulamentação da lei que cria o Instituto Granja do Torto.

À noite, a agenda segue movimentada, com a entrega de escrituras no Sol Nascente. Os últimos compromissos são as inaugurações do campo de futebol, no Parque Recreativo da QNL, e de paisagismo da praça da QNG 45/43, ambos em Taguatinga.

Transporte aéreo
Para dar conta de cumprir os 10 compromissos de quinta-feira (5), Rollemberg usou até o helicóptero da Casa Militar, que fica à sua disposição. Tudo para chegar a tempo nos eventos marcados em vários pontos do DF.

Rollemberg inaugurou uma ponte em Planaltina, na hora do almoço, e embargou na aeronave rumo ao Plano Piloto, onde entregou 299 viaturas para a Polícia Militar, por volta das 14h30. Os veículos entregues são modelo Mitsubishi ASX, mas apenas 55 estão patrimoniados e podem começar a rodar imediatamente.

A legislação eleitoral também veda a candidatos à participação em atos de posse de servidores. Aproveitando a última oportunidade, o chefe do Executivo participou de uma cerimônia de efetivação de 1.052 servidores da saúde. O evento foi no auditório do Museu Nacional, do Conjunto Cultural da República.

Problemas antes da inauguração
Durante a entrega do Anfiteatro do Jardim Botânico de Brasília, no fim da tarde de quinta (5), a reportagem do Metrópoles registrou algumas rachaduras nos bancos de concreto e buracos nas calçadas.

Toda a obra no Jardim Botânico, que inclui o anfiteatro, o memorial do músico Márcio Montarroyos, os banheiros e o camarim, custou em torno de R$ 480 mil. Diretor adjunto do parque Jardim Botânico e arquiteto responsável pelo projeto, Samuel Guimarães disse tratar-se de um problema normal. “Isso é dilatação do material, não estrutural”, explicou. De acordo com o gestor, se a trinca aumenta, a construtora conserta.

Veja o que os candidatos não podem fazer a partir 7 de julho: