Policial penal atropelado por Porsche segue na UTI em estado estável

Gueltz Costa Pinto, 34 anos, teve uma perna amputada e está internado no Hospital DF Star. Vítima precisa de doação de sangue

atualizado 29/06/2022 10:40

Homem branco com barba e com roupa preta mostrando o punho fechado Reprodução

O policial penal Gueltz Costa Pinto, 42 anos, atropelado por um Porsche na via de acesso ao Palácio do Jaburu, nesse domingo (26/6), segue internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Gueltz estava no Hospital de Base e foi transferido, na manhã desta terça-feira (28/6), para o Hospital DF Star, na Asa Sul. Ele teve uma perna amputada e precisa de doação de sangue.

De acordo com os familiares, o estado de saúde do policial é estável, mas segue sedado e em observação. Antes de ser atingido pelo automóvel, Gueltz participava de uma corrida de revezamento com outros policiais penais. No momento do resgate, realizado pelo Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), ele estava inconsciente e em estado grave.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

 

O policial penal chegou ao Hospital de Base apresentando esmagamento de fêmur direito e sinais de fratura de bacia. Segundo a famílias, nesta manhã, ele passou a reagir bem ao tratamento.

Nessa segunda-feira (27/6), familiares e colegas de Gueltz criaram uma campanha de doação de sangue. O Sindicato dos Policias Penais do Distrito Federal (Sindpol-DF) também mobilizou as redes sociais para ajudar.

Veja vídeo: 

 

 

Para doar sangue, basta buscar a Fundação Hemocentro de Brasília, na SMHN conjunto A – Asa Norte, e ressaltar que doará para Gueltz Costa Pinto.

Acidente

O capotamento do Porsche resultou na morte do empresário Rafael Esmaniotto, 37 anos, e a namorada, Gabriella Moreira Andrade Faria, 22. Rafael conduzia o carro de luxo, sofreu fraturas múltiplas e morreu no local. Gabriella foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros do DF e levada ao Hospital de Base, mas não resistiu aos ferimentos.

PCDF tenta reconstituir passos de casal antes de acidente com Porsche

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) investiga onde o casal esteve antes do capotamento do veículo e se Rafael teria ingerido bebidas alcóolicas. A perícia acredita que o motorista conduzia o veículo em velocidade muito acima do limite permitido na via, que é de 60 km/h. O laudo sai em 15 dias e deve confirmar essa hipótese.

A corporação não encontrou câmeras de segurança no local do acidente. O Porsche atingiu um poste de iluminação, capotou e acabou pendurado em uma cerca. O veículo ficou completamente destruído. Nenhuma das rodas permaneceu fixa ao carro.

Veja imagens do acidente 

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
0

 

Quer ficar ligado em tudo o que rola no quadradinho? Siga o perfil do Metrópoles DF no Instagram.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias