Polícia Civil investiga vazamento de óleo no Lago Paranoá

Ibram garante ter concluído trabalho de retirada do combustível da superfície do lago e que vai punir administrativamente os responsáveis

atualizado 24/10/2018 13:08

Divulgação/Ibram

O Instituto Brasília Ambiental (Ibram) informa que já foram concluídos os trabalhos de retirada de óleo combustível derramado no Lago Paranoá, durante o abastecimento de uma embarcação, perto da Ponte Honestino Guimarães. O acidente ocorreu no fim da tarde do último sábado (20/10), em um posto de abastecimento da Marina Vip, no trecho 2 do Setor de Clubes Sul. A Polícia Civil investiga o caso.

O vazamento foi detectado na manhã de domingo (21). Para a contenção da mancha, a empresa contratada pela própria marina utilizou mantas, boias e equipamentos que impedem a dispersão do óleo. Por sorte, as condições climáticas ajudaram e, durante o fim de semana, os ventos sopraram para as margens, evitando maior dissipação do combustível pelo lago.

“A superfície atingida foi de cerca de 500 metros. Não houve outras áreas alcançadas pelo vazamento”, garantiu o Ibram. O instituto informou ainda que continua monitorando a qualidade da água, bem como a fauna e a flora para detectar os impactos negativos do vazamento.

Investigação
A Polícia Civil informou que a Delegacia Especial de Proteção e ao Meio Ambiente à Ordem Urbanística (Dema) já identificou o proprietário e o condutor da embarcação e iniciou as investigações para responsabilizar os culpados pelo ocorrido. O Instituto de Criminalística da corporação também já iniciou a perícia no barco, que foi recolhido até a conclusão dos trabalhos.

Do ponto de vista do Ibram, já está configurada infração ambiental e tanto o posto quanto o dono da embarcação serão autuados administrativamente, de acordo com a legislação ambiental. “Após a conclusão das análises da Diretoria de Riscos Ambientais do órgão serão definidos valores e aplicadas as eventuais multas”, destacou o instituto.

Últimas notícias