Polícia apura se carro incendiado tem relação com Lázaro Barbosa

Forças policiais encontraram o veículo destruído pelo fogo, na manhã desta terça-feira (22/6), em área de mata de Girassol

atualizado 22/06/2021 15:55

Polícia investiga de carro incendiado em relação com Lázaro BarbosaMaterial cedido ao Metrópoles

Policiais que atuam nas buscas por Lázaro Barbosa, 32 anos, encontraram um carro incendiado na manhã desta terça-feira (22/6), em uma área de mata, na região de Girassol, distrito de Cocalzinho de Goiás. Os profissionais da segurança apuram se o veículo encontrado pode ter sido usado pelo criminoso.

O veículo, sem placa, foi encontrado em um barranco, na descida de uma estrada de terra, próximo à Gruta dos Ecos. Peritos da Polícia Civil de Goiás (PCGO) chegaram ao local por volta das 14h15 e terminaram o trabalho uma hora depois, sem falar com a imprensa ao final.

O carro queimado aparenta ser um Chevrolet Corsa Classic. O Metrópoles apurou que a polícia tentou abordar um veículo na madrugada desta terça, por volta da 1h, na região, mas o motorista teria fugido. Ainda não se sabe se o carro encontrado nesta manhã é o mesmo visto na madrugada.

Este é o 14º dia de buscas por Lázaro. Ele é acusado de cometer uma série de crimes – entre os quais, uma chacina que vitimou quatro pessoas da mesma família, no Incra 9, em Ceilândia, no dia 9 de junho deste ano.

Veja fotos da perícia:
0

Caso a polícia confirme que o foragido usou o carro, essa não seria a primeira vez que ele abandona um veículo e o incendeia. Na madrugada do último dia 11, Lázaro teria roubado um carro em Ceilândia. Depois, incendiou e abandonou o veículo em Cocalzinho.

Após duas semanas de buscas, ainda participam da operação policiais federais, de Goiás e do Distrito Federal. Na BR-070, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) segue com os bloqueios e as revistas de veículos.

Medo

Apesar das buscas constantes, desde sexta-feira (18/6) não há informações confirmadas em relação ao paradeiro do criminoso. A falta de novidades tem aumentado o medo da população da região.

O vendedor ambulante Wilson Rodrigues dos Passos, 52 anos, mora há 5 anos em Girassol com a esposa. Ele vende alimentos como queijo, doces e coco às margens da rodovia, próximo à escola municipal Alto da Boa Vista, onde está montada a base de operações da polícia.

“Antes disso tudo, o movimento era tranquilo, bom demais da conta. Agora, passa viatura o tempo todo, o povo está com medo e não para mais para comprar. Mal consigo vender”, lamenta.

Além de ter o emprego afetado, Wilson não dorme bem há dias. “Aquele tiroteio que teve aqui na semana passada eu ouvi tudo, foi perto da minha casa. Foram uns 20 a 30 tiros. Aí, eu falei: ‘Pronto, agora pegou’. Mas, aí, nada”, conta o morador.

Veja imagens das buscas nesta terça-feira:
0
0

Mais lidas
Últimas notícias