*

Mais lidas

PF faz operação no Distrito Federal contra desvios em fundos de pensão

Entre os alvos estão a Funcef (Caixa Econômica Federal), Previ (Banco do Brasil), Petros (Petrobras) e Postalis (Correios). Ação ocorre também nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e Amazonas

Rafaela Felicciano/Metrópoles
Mirelle Pinheiro
 

A Polícia Federal, em parceria com o Ministério Público Federal (MPF), faz na manhã desta segunda-feira (5/9) uma grande operação, batizada de Greenfield, contra desvios em fundos de pensão. Estão sendo cumpridos 127 mandados judiciais expedidos pela 10ª Vara Federal de Brasília: sete de prisão temporária, 106 de busca e apreensão e 34 de condução coercitiva nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e Amazonas, além do Distrito Federal.

Entre os alvos estão a Funcef (Caixa Econômica Federal), Previ (Banco do Brasil), Petros (Petrobras) e Postalis (Correios). A decisão judicial ainda determinou o sequestro de bens e o bloqueio de ativos e de recursos em contas bancárias de 103 pessoas físicas e jurídicas que são alvos da operação no valor aproximado de R$ 8 bilhões. De acordo com a Polícia Federal, os alvos são 74 pessoas e 38 empresas ou entidades.

O ex-presidente do Postalis Alexej Predtechensky foi conduzido de forma coercitiva – quando o investigado é levado a depor e liberado. Ele foi denunciado, em julho deste ano, pela Procuradoria da República, em São Paulo, e está sendo investigado por fraude de R$ 465 milhões no fundo de pensão dos Correios. O ex-diretor da OAS, Léo Pinheiro, foi alvo de condução coercitiva. Ele já estava em prisão domiciliar pela Lava Jato e, por determinação do juiz Sérgio Moro, será levado para Curitiba (PR).

Em Brasília, estão sendo cumpridos mandados nas sedes do Postalis e da Funcef. Entre os alvos de mandados coercitivos está o ex-diretor de Planejamento e Controladoria do fundo de pensão dos funcionários da Caixa Econômica Antônio Bráulio de Carvalho (foto abaixo). Em São Paulo, a PF cumpriu mandados nas empresas JBS, Engevix, OAS e WTorre.

Rafaela Felicciano/Metrópoles

 

Os irmão Joesley e Wesley Batista, donos da J&F, holding que é proprietária de uma das maiores empresas de processamento de proteína animal da mundo, a JBS, também foram alvos de busca e apreensão e condução coercitiva.

João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT e preso pela Lava Jato, teve endereços vasculhados. A operação conta com auxílio da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A ação é ancorada em 10 casos revelados a partir do exame das causas dos déficits bilionários apresentados pelos fundos de pensão. Entre os 10 casos, oito são relacionados a investimentos realizados de forma temerária ou fraudulenta pelos fundos de pensão, por meio dos Fundos de Investimentos em Participações (FIPs).

Durante as investigações, alguns núcleos criminosos restaram configurados: o núcleo empresarial, o núcleo dirigente de fundos de pensão, o núcleo de empresas avaliadoras de ativos e o núcleo de gestores e administradores dos FIPs.

Os investigados responderão, na medida de suas participações, por gestão temerária ou fraudulenta, além de outros crimes contra o Sistema Financeiro Nacional, previstos na Lei  7.492/86. Participam da operação cerca de 560 policiais federais, além de 12 inspetores e quatro procuradores federais da CVM, oito auditores da Previc e sete procuradores da República.

O nome da operação faz alusão a investimentos que envolvem projetos incipientes (iniciantes, em construção), ainda no papel, como se diz no jargão dos negócios. O contrário de investimentos Greenfield é o Brownfield, no qual os recursos são aportados em um empreendimento/empresa já em operação.

Veja onde estão sendo cumpridos os mandados:

  • Distrito Federal – 20 mandados de busca e apreensão, 6 conduções coercitivas e 5 mandados de prisão temporária;
  • São Paulo/SP – 44 mandados de busca e apreensão, 17 conduções coercitivas e 1 prisão temporária;
  • Campinas/SP – 1 mandado de busca e apreensão e 1 condução coercitiva;
  • Santos/SP – 1 mandado de busca e apreensão
  • Rio de Janeiro/RJ – 28 mandados de busca e apreensão, 7 conduções coercitivas e 1 prisão temporária;
  • Niterói/RJ: 3 mandados de busca e apreensão e 1 condução coercitiva;
  • Vila Velha/ES – 1 mandado de busca e apreensão e 1 prisão temporária;
  • Salvador/BA – 1 mandado de busca e apreensão e 1 condução coercitiva;
  • Ilhéus/BA – 1 mandado de busca e apreensão;
  • Curitiba/PR – 1 mandado de busca e apreensão;
  • Porto Alegre/RS – 2 mandados de busca e apreensão e 1 condução coercitiva;
  • Florianópolis/SC – 3 mandados de busca e apreensão, 1 condução coercitiva e 1 mandado de prisão temporária;
  • Manaus/AM- 2 mandados de busca e apreensão
 

 

COMENTE

Polícia FederalFundos de pensão
comunicar erro à redação

Leia mais: Distrito