*
 

A Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) prendeu, nesta sexta-feira (7/12), cinco pessoas acusadas de fazerem parte de uma organização criminosa que aplicava golpes dos precatórios em servidoras aposentadas. A maioria das vítimas, segundo a unidade especializada da Polícia Civil do DF, são idosas.

De acordo com informações preliminares, pelo menos 30 pessoas teriam caído no golpe no Distrito Federal.  “Mas esse número pode passar de milhares no país”, disse a delegada-chefe da Deam, Sandra Melo.


Além das prisões feitas em Goiânia (GO) durante a Operação Strike, a PCDF cumpriu seis mandados de busca e apreensão e apreendeu quatro veículos que teriam sido comprados com dinheiro dos golpes. De acordo com as investigações, os alvos da organização criminosa são filiados a associações de servidores federais.

Os acusados se passavam por representantes dessas entidades e até membros do Judiciário e da Receita Federal para informar às vítimas que elas tinham créditos judiciais a receber. No entanto, para terem acesso a esse dinheiro, eram obrigadas a realizar o pagamento de encargos à Fazenda Nacional.

Os valores cobrados pelos suspeitos variavam entre R$ 7 mil e R$ 24 mil. Algumas vítimas, porém, chegaram a depositar R$ 96 mil. De acordo com a delegada, os criminosos lavavam o dinheiro que ganhavam com o golpe. “Compravam carros e até mesmo criavam gado”, ressaltou Sandra de Melo.

A Deam vai investigar como os acusados tinham acesso à relação dos servidores. Membros das associações serão investigados. Segundo Sandra Melo, os criminosos eram articulados e dividiam bem as tarefas entre eles.

Eles agiam no DF, em Goiás, Minas Gerais, Pernambuco, no Rio de Janeiro e em São Paulo. Vão responder pelos crimes de estelionato, tentativa de estelionato, organização criminosa, lavagem de dinheiro e porte ilegal de arma, de munições e de drogas. Com os suspeitos, os policiais encontraram R$ 50 mil.

Para evitar novos golpes, a delegada diz que é importante tomar alguns cuidados, como não fornecer dados pessoais e muito menos fazer depósitos antecipados. Entrar em contato com as associações também é uma medida que precisa ser tomada antes de fazer qualquer depósito.