PCDF investiga estelionatário que se passou por Ibaneis para aplicar golpe

Delegado-geral da corporação afirmou que investigações estão avançadas e em breve o criminoso que se passou pelo governador será localizado

atualizado 04/01/2021 12:23

Ibaneis Rocha na LideJaqueline Lisboa/Metrópoles

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) instaurou um inquérito para apurar a ação de um estelionatário que se passou pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) com a intenção de aplicar golpes. O caso é investigado pela Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC).

Segundo a reportagem apurou, o criminoso pegou uma foto do governador na internet, usou um número de telefone com prefixo 061, do Distrito Federal, e teve acesso aos contatos pessoais do chefe do Executivo local.

Com os números em mãos, passou a enviar mensagens fingindo ser Ibaneis Rocha e pedindo para que fossem efetuados depósitos em uma conta bancária. Familiares do governador chegaram a receber o pedido.

O delegado-geral da PCDF, Robson Cândido, alerta para os cuidados que devem ser tomados e afirma que o caso será elucidado em breve com a identificação do criminoso. “As investigações já estão avançadas. Em breve, chegaremos ao autor. É importante lembrar que, nesses casos, não é recomendável que as pessoas efetuem o depósito sem antes ligarem e conversarem, de fato, com o verdadeiro contato”, alertou.

Em geral, esse tipo de golpe é aplicado por detentos que cumprem pena em prédios, sobretudo de Goiás. Os estelionatários têm como alvos principais médicos e advogados.

Outros casos

Durante 2020, muitos parlamentares foram vítimas de golpes semelhantes ao aplicado contra o governador do Distrito Federal. Entre eles os deputados federais Israel Batista (Partido Verde), Carla Zambelli (PSL-SP), Luisa Canziani (PTB-PR) e Filipe Barros (PSL-PR).

Esse tipo de crime segue crescendo na capital federal. Em média, foram três ocorrências registradas, por dia, no ano passado.

Últimas notícias