Categorias: Distrito Federal

PCDF analisa cena do assassinato de padre com auxílio de caseiro

Investigadores da 2ª Delegacia de Polícia fazem a perícia na área da Paróquia Nossa Senhora da Saúde, na 702 Norte, na manhã deste domingo (22/09/2019). Com a ajuda do caseiro, José Gonzaga da Costa, de 39 anos, eles apuram o assassinato do padre Kazimerz Wojn, na noite desse sábado. O sacerdote foi estrangulado por bandidos, que reviraram a casa paroquial da igreja e levaram diversos pertences.

O caseiro, que cuidava da reforma, também foi feito refém pelos bandidos. O irmão dele Célio Gonzaga da Costa, que dormia no local na hora do crime, disse ao Metrópoles que o caso aconteceu logo após o religioso celebrar a missa das 18h30. Padre Casemiro, como é conhecido pelos fiéis, tinha ido fiscalizar uma obra que acontece no terreno da paróquia.

“Meu irmão contou que eram quatro criminosos. Eles pularam a grade, mas eu não ouvi porque estava dormindo. Acordei quando meu telefone vibrou por volta das 21h30. Foi quando ouvi meu irmão gritando socorro e fui acudir. Nesse momento eles fugiram”, revelou Célio.

José Gonzaga sofreu escoriações nos braços, mãos e foi transportado para o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) estável e orientado. Foi ele quem conseguiu gritar por socorro, afugentando os ladrões, segundo a corporação.

Padre Kazimerz foi encontrado morto, com os pés e as mãos amarrados, e com um arame envolto ao pescoço. O religioso também tinha uma lesão na cabeça, segundo a polícia. Ninguém havia sido preso até a última atualização desta reportagem.

O corpo do líder religioso estava do lado de fora da casa paroquial, que fica nos fundos da igreja. A polícia acredita que ele tenha sido morto dentro da residência e arrastado para o lado de fora posteriormente. Somente a perícia da Polícia Civil poderá confirmar as suspeitas.

Denúncias

Conhecido na comunidade como padre Casemiro, o pároco já havia alertado as autoridades policiais do DF sobre a nítida sensação de insegurança que rondava a região. Há cinco meses, em 21 de abril deste ano, em pleno Domingo de Páscoa, ladrões invadiram o templo e levaram o sacrário do altar. A peça havia sido doada há 20 anos e tem valor estimado em R$ 20 mil.

O religioso recebeu o Metrópoles na paróquia no dia seguinte à Páscoa. Apesar do alto valor financeiro, a preocupação do clérigo era com o interior do sacrário: havia uma âmbula com cerca de 70 hóstias consagradas, que são o corpo de Jesus Cristo aos católicos. O objeto foi encontrado dias depois, vazio, em um ferro velho, em Samambaia. “Tem o sentido de profanação. Existem pessoas que fazem essas coisas”, lamentou o pároco ao Metrópoles, na época.

No fim do ano passado, caixas de som foram roubadas na mesma paróquia, e o padre Casemiro ordenou, então, que fossem colocadas em um ponto mais alto, próximo aos vitrais, a fim de evitar novas investidas de criminosos.

Victor Fuzeira

Natural do Rio de Janeiro, mora em Brasília desde 2008 e se considera meio candango, meio carioca. Em 2019, se formou em jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub).

Últimas notícias

João Angelini estreia ocupação Cenas de Ódio, Morte e Progresso

A exposição com curadoria de Marco Antônio Vieira traz quatro tempos e momentos instalativos

15 minutos passados

Gol do Newcastle no minuto final derruba o Chelsea no Inglês

Com 39 pontos, a equipe de Londres ocupa a quarta colocação e pode ver o Manchester United se aproximar

16 minutos passados

BBB20: conheça as participantes Boca Rosa e Flayslane

Bianca Andrade aposta em sua fama nas redes sociais. A paraibana Flayslane é cantora sertaneja e tem personalidade forte

17 minutos passados

Professores terão “poder de desempate” em escolas militarizadas

Para secretário de Educação, pedagogos devem ter o poder de decisão na gestão compartilhada, seguindo os passos de colégios cívico-militares

23 minutos passados

Vídeo mostra suspeito de matar travesti a facadas na Asa Norte

Garotas de programa correram pela W3 para tentar ajudar Ana Clara Lima, ou Júlia, que foi esfaqueada e acabou morrendo

31 minutos passados

“Barriga torta” de Juliana Knust em foto de biquíni chama atenção

Sobre os comentários negativos, a atriz declarou: "Não importa! Vamos viver em paz"

32 minutos passados