Papiloscopistas da PCDF fazem vaquinha para ajudar estagiária com doença renal grave

A jovem precisa de dinheiro para custear sessões de hemodiálise e remédios de alto custo

atualizado 02/07/2021 18:29

HemodiáliseVinícius Santa Rosa/Metrópoles

Papiloscopistas lotados no Instituto de Identificação da Polícia Civil do DF (PCDF) estão engajados em uma campanha para ajudar no custeio do tratamento renal de Maria Clara Silva, estagiária do órgão. A jovem de 26 anos foi diagnosticada com grave problema renal e precisa de ajuda para custear o tratamento.

Atualmente, apenas 9% dos rins de Maria Clara estão funcionando e somente um transplante poderia lhe devolver uma vida normal. Enquanto não consegue um doador do órgão, ela tem enfrentado uma rotina difícil.

De acordo com o Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol), além de uma dieta alimentar rigorosa, acrescida de suplementos vitamínicos, Maria Clara precisa se medicar com remédios de alto custo e fazer hemodiálise três vezes por semana.

Nos dias em que precisa realizar o tratamento renal, a estudante se submete a um percurso cansativo: ela sai de casa, em Santa Maria, e vai para o trabalho no Complexo da PCDF. De lá, após o expediente, segue para a clínica onde recebe o atendimento médico, em Samambaia, para depois voltar para onde mora.

Além disso tudo, a clínica onde ela faz a hemodiálise deixou de ser conveniada ao Governo do Distrito Federal (GDF) e suspendeu o tratamento gratuito. Uma sessão particular do procedimento custa R$ 600.

Para ajudar a estudante, os policiais civis organizaram uma vaquinha online para auxiliar a estudante. Basta contribuir com qualquer quantia, que poderá ser depositada em Conta Corrente ou por PIX.

Nome: Maria Clara Mendes da Silva
PIX: 051.899.791-05 (Nubank)
Banco Bradesco (237)
Agência: 3863
Conta Corrente: 16764-9

Últimas notícias