Ônibus têm limpeza reforçada e janelas abertas contra coronavírus

Empresas precisam higienizar coletivos todas as vezes que chegam à Rodoviária do Plano, que tem dispositivos com álcool em gel espalhados

Funcionário de empresa limpa ônibus na rodoviária do Plano PilotoHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 17/03/2020 12:34

Ônibus que circulam pelo Distrito Federal começaram a ser higienizados com maior frequência após o aumento de casos do novo coronavírus na capital do país. Na Rodoviária do Plano Piloto, empresas de coletivos passaram a limpar os veículos a cada vez que estes retornam de um trajeto.

Na manhã desta terça-feira (17/03), a Secretaria de Saúde do DF confirmou 22 casos de Covid-19 em Brasília. A primeira contaminada com o coronavírus, segundo boletim da pasta, mostrou leve melhora. Ela está internada na UTI do Hospital Regional da Asa Norte, tem 52 anos, é moradora do Lago Sul e esteve na Europa antes de apresentar os sintomas.

0

Desde a última quinta-feira, os ônibus da empresa TCB (Sociedade de Transporte Coletivo de Brasília) são higienizados após as viagens. Além disso, o ar-condicionado de cada veículo não está mais sendo ligado. “Em vez disso, estamos abrindo as janelas para o ar circular”, disse o diretor-técnico da empresa, Vítor Aveiro.

“Quando (o coletivo) chega, três pessoas entram e fazem a limpeza. Só depois os usuários podem entrar. E como o movimento está baixo, já dá para ver que faz diferença”, afirmou Aveiro.

Nesta terça, outra empresa iniciou a limpeza constante dos transportes. Todas as vezes que coletivos da Pioneira estacionam na rodoviária, equipes com máscara e luvas entram para higienizar os assentos.

“Antes de os passageiros embarcarem, eles entram e limpam novamente. Todas as vezes que o ônibus chega”, explicou o encarregado de operação da Pioneira, Lidiano Queiroz.

Por conta de determinações do governo para que a população saia menos vezes de casa pelos próximos dias, a quantidade de usuários nos transportes vem sendo menor nesta semana, segundo ele. “O número diminuiu bastante, baixou consideravelmente. Desde ontem (16/03), vemos isso em toda a rodoviária mesmo”, disse Queiroz.

Mesmo com o número menor de pessoas, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) recomendou que o GDF mantivesse o número de ônibus nas ruas. O órgão alerta que uma possível redução no transporte público possa agravar o problema da superlotação.

Maior segurança

Para a usuária do transporte Ana Paula Brandão, 23 anos, o reforço na limpeza dos coletivos passa maior segurança ao passageiro. “É bem importante. Deviam ter começado a fazer isso há mais tempo até”, considerou.

A estudante da Universidade de Brasília (UnB), que usa o transporte público todos os dias, teve as aulas suspensas, mas continua andando de ônibus para ir ao estágio. “E sabendo o quanto o vírus é contagioso, é muito bom que limpem mesmo para diminuir o risco, né”, afirmou.

Em todo o espaço da rodoviária, o movimento na manhã desta terça foi menor que o comum. Pelo local, 16 pontos de álcool em gel são repostos várias vezes ao longo do dia. Além disso, a administração aumentou a frequência da limpeza dos corrimãos das escadas — fixas e rolantes.

Ronaldo Nascimento, 73, utiliza o transporte público com frequência. Nesta terça, ao passar pela rodoviária, ele resolveu usar máscara para se proteger. “Sou do grupo de risco, então, estou andando com máscara e com meu álcool em gel no bolso. Tomando todas as precauções.”

Para o professor, a medida de intensificar a higienização nos ônibus chama atenção. “É necessário. Tudo que puder reforçar a higiene, assepsia mesmo, só traz benefícios para a população”, enfatizou.

O que diz o GDF

A Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob) divulgou nota afirmando que os técnicos da área de planejamento realizam ajustes na operação e remanejam os ônibus de linhas que atendem ao público formado prioritariamente por estudantes para as linhas de maior demanda.

“Com isso, a Secretaria determinou às empresas que amplie a oferta de ônibus aos usuários. Até o momento não foi tomada nenhuma medida de restrição ao embarque de passageiros”, diz a publicação.

A pasta passou orientação para que as operadoras higienizem os coletivos com desinfetante de hipoclorito de sódio (cloro ativo) antes das viagens. Além disso, motoristas e cobradores devem manter as janelas dos veículos abertas ao longo de todo o percurso para melhorar a circulação do ar.

“Em relação à Rodoviária, a administração do terminal determinou a limpeza, a cada meia hora, de todos os corrimãos de escadas, pias, torneiras, espelhos, maçanetas. Os funcionários trabalham com máscaras e luvas. Em todas as plataformas foram instalados dispersores de álcool gel”, conclui a nota.

Últimas notícias