OEI e GDF investem em formação profissional de 4 mil mulheres

Programa também oferece R$ 200 mil de incentivo para 40 professoras-facilitadoras

atualizado 17/09/2020 10:26

Divulgação

A Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI) e a Secretaria da Mulher do Distrito Federal lançarão, às 15h desta quinta-feira (17/9), o projeto Mulheres Hipercriativas. O programa tem por finalidade ampliar a inserção das mulheres no mercado de trabalho, oferecer uma fonte de renda às participantes e, assim, amenizar o impacto econômico da pandemia do novo coronavírus.

Ao todo, cerca de 4 mil mulheres do Distrito Federal serão contempladas. O projeto irá selecionar e remunerar 40 professoras-facilitadoras em diversas especializações da economia criativa, incentivando o empreendedorismo feminino.

As facilitadoras irão ministrar cursos de capacitação e preparar outras mulheres para que tenham mais chance de conseguir um emprego ou abrir o próprio negócio.

Os cursos oferecidos visam o aperfeiçoamento de mulheres em áreas da economia criativa que vão desde comunicação (publicidade, marketing, multimídia, organização de eventos) a oficinas de moda, gastronomia, design gráfico e de produtos, além de gestão empreendedora.

Podem fazer as aulas tanto quem deseja começar um novo projeto quanto quem busca aperfeiçoar o próprio negócio adotando técnicas modernas de vendas e gestão. Materiais do curso e aulas estarão acessíveis por meio do site oei.org.br/mulheres-hipercriativas

“O foco do projeto está na formação e profissionalização como eixos de desenvolvimento da economia criativa, procurando fortalecer a geração de novos negócios no setor e gerar mais oportunidades e renda para mulheres empreendedoras do Distrito Federal”, ressalta o diretor e chefe da representação da OEI no Brasil, Raphael Callou.

Facilitadoras e embaixadoras

Por meio de edital, serão selecionadas 40 professoras-facilitadoras para dar instruções sobre a condução de novos negócios e repassar a outras mulheres as habilidades profissionais que dominam. Uma vez inscritas, elas devem apresentar propostas de oficinas que devem ter 40, 20 ou 10 horas de duração. Elas receberão entre R$ 2,5 mil e R$ 10 mil, dependendo da carga horária.

O projeto é uma oportunidade de aprendizado de extrema importância, em um cenário no qual mulheres foram as mais prejudicadas com a crise provocada pelo novo coronavírus, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“No momento econômico em que estamos vivendo, em que as mulheres foram diretamente afetadas pela pandemia, acredito que o projeto Mulheres Hipercriativas chega como uma oportunidade para as jovens mulheres repensarem seus negócios, seus projetos de vida e também realizarem o sonho de serem empreendedoras. E, mais do que isso, é a oportunidade de construção de uma forte rede de mulheres líderes”, acredita a secretária da Mulher do DF, Ericka Filippelli.

Essa é a primeira edição do Mulheres Hipercriativas e conta com o apoio da Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, além da parceria de gestoras públicas, líderes comunitárias e empresárias do DF, que atuarão como embaixadoras do projeto. A ideia é somar esforços de mulheres já consolidadas no meio profissional para motivar e inspirar as participantes, bem como ensiná-las e trocar experiência no ramo em que as embaixadoras são especialistas.

0

 

Últimas notícias