Obra em que pedreiro morreu eletrocutado é clandestina, diz PCDF

Joaquim Lima, 26 anos, foi eletrocutado enquanto trabalhava na construção de um edifício na Vila Rabelo, em Sobradinho 2

atualizado 03/08/2021 8:44

Pedreiro morre ao levar choque em obra clandestina em Sobradinho 2CBMDF/Divulgação

A 35ªDelegacia de Polícia (Sobradinho 2) investiga a morte de um trabalhador da construção civil. Joaquim Lima, 26 anos, foi eletrocutado, nessa segunda-feira (2/8), enquanto trabalhava na construção de um edifício na Vila Rabelo, em Sobradinho 2.

De imediato, perícias foram feitas no local e policiais ouviram testemunhas do caso. O trabalhador prestava serviço como auxiliar de pedreiro na construção de um edifício de quatro pavimentos. Um andaime foi montando para a realização do reboco da fachada principal do prédio. Porém, segundo a PCDF, a poucos centímetros do andaime, passava uma rede de alta tensão, energizada com 10.000 watts.

Enquanto a vítima recolhia as ferramentas para o intervalo do almoço, uma delas tocou nos cabos de energia, provocando a morte imediata da vítima.

A investigação apurou que, além da montagem do andaime de forma inadequada, por estar praticamente encostado na rede elétrica, toda a obra é realizada de forma clandestina, sem atender às exigências técnicas da construção civil. Fatores que contribuíram para a morte de Joaquim Lima.

Socorro

O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) socorreu, nessa segunda-feira (2/8), um pedreiro que sofreu uma descarga elétrica ao rebocar a área externa de uma residência, em Sobradinho.

Segundo o CBMDF, Joaquim encostou na rede elétrica da casa ao fazer o serviço de reboco. As equipes de socorro encontraram o homem sem sinais vitais e iniciaram o processo de reanimação cardiorrespiratória.

0

Após 25 minutos, os bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) declararam a morte de Joaquim. O local ficou aos cuidados da Polícia Militar.

Últimas notícias