Nove dias após cirurgia, gêmeas siamesas apresentam boa recuperação

Boletim médico divulgado nesta segunda-feira (06/05/2019) aponta evolução de Lis, que já se alimenta e respira sem ajuda de aparelhos

Luci Vânia/Foto cedida pela famíliaLuci Vânia/Foto cedida pela família

atualizado 06/05/2019 14:41

Nove dias após as gêmeas siamesas Lis e Mel terem sido separadas em procedimento cirúrgico inédito no Distrito Federal e de extrema complexidade, boletim divulgado pelo corpo médico do Hospital da Criança nesta segunda-feira (06/05/2019) aponta boa evolução no estado de saúde das irmãs.

Lis já se alimenta completamente por via oral. Até a última sexta-feira (03/05/2019), a bebê ainda fazia uso de sonda enteral para se alimentar, mas conseguia ingerir papinha semilíquida. A menina também abandonou o suporte de oxigênio para respirar e, agora, apresenta quadro respiratório estável.

Mel, por sua vez, tem uma evolução mais lenta, nada considerado anormal pelos médicos, e ainda recebe alimentação via sonda enteral. A bebê ainda precisa do suporte de oxigênio por cateter nasal para auxiliar na respiração.

As duas têm feito o uso de antibióticos e são, segundo relatório, acompanhadas diariamente pelas equipes de neurocirurgia, neurologia pediátrica, cirurgia plástica e terapia intensiva pediátrica do hospital.

Na quarta-feira (01/05/2019), as gêmeas completaram 11 meses de vida. Elas estão em uma ala que conta com horários restritos de visitação, mas os pais das meninas, Camilla Vieira Neves, 25 anos, e Rodrigo Martins Aragão, 30, que acompanham a recuperação, receberam visitas de parentes e amigos.

A expectativa da equipe médica é que as gêmeas recebam alta da UTI em duas semanas e possam comemorar o aniversário de 1 ano na enfermaria do hospital, com outras crianças.