*
 

Uma mulher que mora no Tocantins denunciou a própria irmã, residente no Sol Nascente, por maus-tratos. Desesperada, ela acusa a mãe da vítima de agredir o rosto da filha de 2 anos. O crime teria ocorrido no último domingo (1º/4) e é investigado pelo Conselho Tutelar de Ceilândia III.

Segundo ela, os casos de agressão são recorrentes na residência onde a criança mora. A acusada teria outras duas filhas, que também já teriam sofrido maus-tratos. “Não é a primeira vez. Ela tem três filhas, e todas elas sempre apanharam”, conta.

Um vizinho da suposta agressora, sob condição de anonimato, reafirma as denúncias da tia e acusa a mãe das crianças de ser usuária de drogas. “Ela não dá comida e deixa a criança o dia inteiro sozinha em casa. Nós [vizinhos] é que cuidamos da menina. Doamos leite, comida e fraldas”, assegura.

A tia ainda conta que, em um dos episódios de agressão, a acusada chegou a quebrar o braço de uma das garotas. As más condições levaram a avó das vítimas a assumir a guarda das duas meninas mais velhas, de 5 e 8 anos. “Minha mãe teve que pegar as meninas e trazê-las para Tocantins, porque não aguentava mais vê-las apanhando assim”, relata.

Em nota, o Conselho Tutelar III de Ceilândia afirma que “tem sido atuante, e uma notificação contra a suposta autora já foi emitida, mas funcionários não conseguiram localizar a mulher na residência onde mora”. De acordo com o órgão, se confirmada a acusação, o caso será encaminhado para a delegacia mais próxima e a mãe pode chegar a perder a guarda da filha. O Metrópoles tentou contato, mas a suspeita não foi localizada até a última atualização desta reportagem.