metropoles.com

MPF cobra da SSP-DF ações contra protestos em frente ao QG do Exército

Ministério Público deu 5 dias para que secretário de Segurança Pública informe quais providências tem tomado contra manifestações ilícitas

atualizado

Compartilhar notícia

Wey Alves/ Especial Metropoles
qg-manifestacao (1)
1 de 1 qg-manifestacao (1) - Foto: Wey Alves/ Especial Metropoles

A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal terá que responder o que vem fazendo para coibir protestos antidemocráticos em frente ao QG do Exército, em Brasília. O pedido veio do Ministério Público Federal (MPF), que ressaltou a urgência do caso e levantou possíveis crimes cometidos pelos bolsonaristas. O órgão questionou quais providências estão sendo adotadas para assegurar o livre trânsito de pessoas na área pública e para “coibir manifestações ilícitas e/ou criminosas”.

Além da SSP, o MPF também enviou ofícios ao ministro da Defesa, ao comandante do Exército e ao diretor do Departamento de Trânsito (Detran-DF). Os questionamentos surgiram após nova movimentação em atos contra o resultado das urnas que elegeu Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Bolsonaristas levaram mais de cem caminhões para Brasília e ficaram em um espaço reservado em frente ao QG, acompanhados pela Polícia Militar do Distrito Federal.

O Ministério Público ressalta que a liberdade de manifestação deve ser preservada, desde que exista harmonia com “outros direitos fundamentais igualmente consagrados no texto constitucional”. O despacho afirma que protestos não podem ameaçar o Estado de Direito, as instituições democráticas e a ordem social, o que vem acontecendo em frente ao QG do Exército em Brasília, segundo o órgão.

“Tais condutas não podem ser admitidas, porque podem, inclusive, configurar crime. […] Incitar a animosidade das Forças Armadas contra os poderes constitucionais configura, em tese, o crime tipificado no parágrafo único do art. 286 do Código Penal. […] As manifestações ora observadas em frente ao QG do Exército em Brasília têm nítido propósito de desestabilizar as instituições democráticas, impugnando o resultado do processo eleitoral por vias transversas”.

O secretário de Segurança Pública do DF recebeu o ofício dia 10 e tem até a próxima terça-feira (15/11) para responder como está coibindo as manifestações que “incitam agressão ou violência a candidatos eleitos”, “estimulam a obstrução do exercício regular das funções dos poderes constituídos” e “incitam a animosidade das Forças Armadas com os poderes constitucionais”.

“Com as respostas, voltem os autos conclusos para nova decisão/diligência”, aponta o Ministério Público. Em nota à reportagem, a SSP afirmou que recebeu o referido ofício do MPF. “A pasta encaminhou o documento às forças de segurança pública do DF, solicitando informações. Destacamos, por fim, que o documento será respondido dentro do prazo ao referido órgão.” Já o Detran informou que vai enviar os dados que dispõe para a SSP.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comDistrito Federal

Você quer ficar por dentro das notícias do Distrito Federal e receber notificações em tempo real?