MPDFT cobra plano para garantir leitos de UTI em nova onda da Covid

Força-tarefa também solicitou informações sobre medidas não farmacológicas para conter novo avanço da Covid-19

atualizado 21/01/2022 14:40

Paciente sendo internado em hospital público do DFRafaela Felicciano/Metrópoles

Diante da nova onda de casos da Covid-19 e do risco de colapso da rede pública, a força-tarefa do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) cobrou informações e medidas de contingência por parte da Secretaria de Saúde. Segundo o órgão de controle, a pasta deve apresentar o plano para remobilização de leitos de UTI e ações não farmacológicas.

A força-tarefa pediu explicações na segunda-feira (17/1). A pasta da Saúde deve apresentar o planejamento de mobilização de leitos de UTI, com e sem suporte dialítico. Além disso, o MPDFT questionou qual será a forma de contratação do serviço e se há disponibilidade orçamentária.

Para integrantes da força-tarefa, a contratação de leitos fora da rede credenciada deve ser precedida de avaliação técnica. O governo precisa deixar claro a real necessidade da abertura de novos leitos de UTI, sobretudo os com suporte dialítico.

O MPDFT também demonstrou preocupação com as demais demandas da rede pública, indiretamente afetadas pela nova fase aguda da pandemia, especialmente as cirurgias eletivas. Para a força-tarefa, as filas seguem em situação “preocupante”.

Mais lidas
Últimas notícias