“Minha cabeça ficou entre as rodas”, diz mulher arrastada por carro

O episódio ocorreu em Taguatinga, após a vendedora se recusar a dar desconto no preço de balões. Casal que estava no veículo é procurado

JP Rodrigues/MetrópolesJP Rodrigues/Metrópoles

atualizado 17/06/2019 12:33

A vendedora Marina Izidoro de Morais, de 63 anos, foi arrastada, por cerca de 100 metros, depois de se negar a dar desconto no preço do balão a um cliente em uma festa junina. O caso aconteceu na Área Especial 1, em frente ao colégio Marista, Taguatinga Sul. A mulher disse que está traumatizada e nasceu de novo após o susto.

“Não está doendo nada, só ardendo. Eles me arrastaram e a minha minha cabeça ficou presa entre as rodas. Pensei que fosse morrer”, disse a idosa, enquanto recebia atendimento dos bombeiros no local da agressão na noite de sábado (15/06/2019).

Assista o vídeo:

 

A vítima relatou que trabalhava no local quando o motorista de um veículo Mercedes Benz se aproximou dela e pediu três balões. Enquanto a vendedora os separava, a passageira, no banco do carona, pediu um desconto. Como Marina se recusou a vender o produto mais barato, a mulher puxou os balões da mão da idosa e fechou o vidro. Nesse momento, o condutor do carro arrancou em alta velocidade.

Os balões estavam amarrados ao braço de Marina e ela acabou sendo arrastada pelo carro. Somente parou quando as bexigas se soltaram.

Testemunhas contaram que, após a ação, o motorista do carro de luxo, avaliado em R$ 220 mil, fugiu do local. A vendedora foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada para o Hospital Regional de Taguatinga (HRT). Ela sofreu diversas escoriações pelo corpo.

A mulher prestou queixa na 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul), mas a investigação fica a cargo da 12ª DP (Taguatinga Centro). A ocorrência foi registrada como lesão corporal.

Últimas notícias