*
 

Duas das três comportas da barragem do Lago Paranoá foram abertas nesta quinta-feira (8/2) pela Companhia Energética de Brasília (CEB). Em função das fortes chuvas, o lago quase atingiu o limite, de 1.000,80 metros, obrigando a operação a ser deflagrada.

Para alertar a população ribeirinha, que vive na região logo abaixo da barragem, as sirenes tocaram às 10h30. O Corpo de Bombeiros foi acionado e está de prontidão no local.

As comportas não eram abertas desde 2016, quando o Distrito Federal entrou na pior crise hídrica da história local, adotando, pela primeira vez, o racionamento de água.

A medida surpreendeu porque desde outubro do ano passado a água do Lago Paranoá está sendo utilizada para abastecer várias regiões do Distrito Federal, como as asas Sul e Norte, Sudoeste, Noroeste e Lago Norte. A expectativa era de que não houvesse água “sobrando”.

Também causou preocupação, visto que o Sindicato da Indústria da Construção Civil do DF (Sinduscon) fez alerta de que a barragem pode desabar a qualquer momento em função do fluxo de veículos. Segundo a entidade, a estrutura não foi feita para suportar o peso dos carros. O GDF negou essa possibilidade.

Desde domingo (4), a população brasiliense vive momentos de tensão por conta de registros de desabamentos. O piso da laje de uma garagem desabou, na 210 Norte, esmagando 23 carros. Na terça (6), foi a vez de um dos viadutos do Eixão Sul, sobre a Galeria das Estados, despencar. Ninguém ficou ferido nos dois incidentes.