Melhora estado de saúde de bebê que sobreviveu a incêndio no DF

De acordo com parente, Katlen Pereira fez xixi sem ajuda de aparelhos pela primeira vez. Irmão dela será enterrado nesta quinta-feira

atualizado 27/02/2020 10:59

Katlen Pereira, a bebê de 6 meses vítima do fogo que destruiu uma residência em Samambaia no último domingo (23/02/2020), teve evolução no estado de saúde nesta quinta-feira (27/02/2020). De acordo com o tio-avô da criança, José André da Silva, 43 anos, nesta manhã, a garotinha fez xixi sem ajuda de aparelhos pela primeira vez desde que deu entrada no Hospital de Base.

A criança está internada na UTI neonatal da unidade. Ela teve queimadura de 2° grau no braço e na perna, além de ter inalado muita fumaça no incêndio que destruiu a casa em que morava com a família.

“Os rins dela começaram a reagir e ela começou a fazer xixi. Isso, com tantas notícias ruins, já me faz ficar com o sorriso no canto da orelha”, comemorou o encarregado de manutenção José André.

De acordo com ele, a expectativa dos médicos é de que o estado de saúde da menininha possa evoluir nos próximos dias. “Eu já saio do hospital com o coração bem renovado. A equipe médica mesmo está feliz com isso. É algo pequeno, mas que nos deixa com a fé renovada”, comentou.

O caso

O incêndio aconteceu por volta das 20h desse domingo (23/02/2020), no Conjunto 17 da QR 425 de Samambaia começou. Cinco pessoas receberam atendimento do Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF) no local. Kyara Pereira, 2 anos, morreu no local. Daniel Pereira Lopes, 35 anos, padastro de Katlen, teve 95% do corpo queimado, chegou a ser levado para o hospital, mas faleceu na noite de segunda-feira (24/02/2020).

As chamas atingiram 70% do corpo de Adryan Pereira, de 4 anos. Ele também foi levado para a UTI do Base, mas morreu na quarta-feira (26/02/2020). O enterro está marcado para a tarde desta quinta, no Cemitério de Taguatinga.

Já Katlen sofreu queimadura de 2° grau no rosto e braço. A mãe das crianças, Romária Pereira da Silva, estava em estado de choque e com queimaduras mais leves. Acabou encaminhada para o Hospital Regional de Taguatinga (HRT), mas foi liberada.

A perícia foi feita por equipes do CBMDF e do Instituto de Criminalística, da Polícia Civil (PCDF). A residência teve quatro cômodos totalmente queimados: sala, cozinha e dois quartos. O caso está sob os cuidados da 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia Norte).

Últimas notícias