“Me derrubou e desmaiei”, diz advogada do DF sobre agressão

Sorhaya Allana Rodrigues Ferreira disse que vai fazer o reconhecimento da suspeita nesta segunda-feira (14/10/2019). Deam investiga o caso

Material cedido ao MetrópolesMaterial cedido ao Metrópoles

atualizado 13/10/2019 18:34

A advogada Sorhaya Allana Rodrigues Ferreira, 29 anos, disse que vai fazer, nesta segunda-feira (14/10/2019), o reconhecimento da segurança suspeita de agredi-la na saída de uma festa eletrônica na madrugada de sábado (12/10/2019). “Ela tinha o dever de zelar pela integridade física e não de machucar”, disse ao Metrópoles.

Sorhaya Allana afirmou ter levado um soco que a acertou nas proximidades do olho, causando um corte no supercílio o qual precisou de três pontos para ser fechado. Ela também sofreu lesões nos braços e pernas. A Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) investiga o caso.

Por volta das 4h10, de acordo com a advogada, ela resolveu deixar o evento com um amigo, mas quis retornar. Sorhaya percebeu que o celular estava com pouca bateria e não tinha instalado o aplicativo para solicitar um motorista. O colega conseguiu entrar, mas ela foi barrada. “A segurança não me deixou passar, começou a ficar muito grossa. Não queria justificar o motivo pelo qual eu não poderia voltar e se negou a chamar alguém. Quando peguei o celular para filmar a abordagem, ela me derrubou no chão, bateu minha cabeça e eu desmaiei”, narrou.

Conforme relato da advogada, ela foi levada à enfermaria, onde prestaram os primeiros socorros. “Acordei meio confusa. Mas resolvi filmar novamente e me colocaram para fora. Consegui registrar o rosto da mulher que me agrediu, da segurança que estava junto com ela, e, quando fui filmar o coordenador da empresa, ele pegou o celular. Só me devolveram o aparelho quando um policial militar apareceu”, detalhou.

Sorhaya Allana quer que a mulher, a empresa de segurança e a organizadora do evento sejam responsabilizadas na Justiça por lesão corporal. “Eu comprei o ingresso, então estava usufruindo de um serviço. Fui para me divertir”.

O outro lado

Em nota publicada no Facebook, a Shok Segurança disse que desaprova qualquer tipo de violência. “Lamentamos o fato ocorrido na festa Federal Music e estamos à disposição da Justiça e autoridades competentes para ajudar a esclarecer todo o ocorrido, visto que os nossos funcionários não são orientados a reagir com violência”, assinalou.

Por meio de nota, os organizadores do Federal Music afirmaram que o grupo não aceita nem compactua com qualquer tipo de comportamento violento de seus colaboradores ou de empresas terceirizadas ligadas ao evento.

“Damos total apoio à apuração dos fatos e acionaremos os meios legais, caso seja constatado qualquer tipo de comportamento violento por parte de algum funcionário ou terceiro, e que seja punido com todas as devidas medidas necessárias”, diz o texto.

Os empresários afirmaram que irão se reunir com o advogado da vítima nesta segunda-feira (14/10/2019). “Também estamos atrás das imagens de segurança. Nosso evento era todo monitorado. Queremos auxiliar no que for necessário para que a Justiça seja feita.”

Últimas notícias