Volta para casa: marcha pró-Lula complica trânsito

Mais cedo, todas as faixas do Eixo Monumental no sentido Esplanada foram ocupadas, o que provocou congestionamento de 3km na área central

Daniel Ferreira/MetrópolesDaniel Ferreira/Metrópoles

atualizado 15/08/2018 20:17

Os manifestantes que defendem a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao Palácio do Planalto ocuparam, desde as 14h desta quarta-feira (15/8), as principais vias da capital do país. De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), 10 mil pessoas marcharam do estacionamento do Ginásio Nilson Nelson até o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Os organizadores falam em 50 mil.

Por conta das manifestações, a volta para casa ficou mais lenta. Segundo o Detran-DF, no início desta noite foi registrado congestionamento na via S3, no trecho entre o Setor de Autarquias Sul e o Shopping Píer 21. Também houve lentidão na L4 Norte, desde a Vila Planalto até a altura do clube Asbac. A Avenida das Nações ficou engarrafada na região próxima ao TSE.

No período da tarde, o Eixo Monumental foi totalmente fechado no sentido Rodoviária–Palácio do Itamaraty. O congestionamento no local chegou a 3km de extensão. Após descer toda a via, os manifestantes chegaram ao TSE por volta das 16h30. Encontraram um aparato grande de segurança. O prédio, que fica na Praça dos Tribunais, foi completamente cercado por policiais. O PT registrou a candidatura de Lula aproximadamente às 17h40.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, durante a marcha, a via N1 ficou engarrafada desde o Estádio Mané Garrincha até a Catedral Metropolitana de Brasília. Os veículos que desciam o Eixo Monumental foram desviados para o Parque da Cidade e a Estrada Parque Indústrias Gráficas (EPIG).

Por volta das 16h, segundo informações do Departamento de Trânsito (Detran), a S1 foi liberada até a altura da Rodoviária do Plano Piloto. Uma hora depois, toda a pista estava desbloqueada, uma vez que os manifestantes ocupavam apenas as vias do entorno do TSE.

Aproximadamente às 18h30, a Avenida das Nações ficou congestionada, pois os militantes voltaram para a Esplanada, onde embarcariam em ônibus.

Participam do movimento políticos conhecidos, como o ex-ministro petista José Dirceu e a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB), Manuela D’Avila, a ex-presidente Dilma Rousseff e Fernando Haddad, candidato a vice de Lula.

“Pela primeira vez, a candidatura de um presidente é registrada pelas mãos do povo”, gritaram os manifestantes em frente ao TSE.

Acordo descumprido
A organização do movimento fez um acordo com a Polícia Militar sobre o trajeto e as vias a serem ocupadas. A previsão era de que apenas três das seis faixas do Eixo Monumental fossem fechadas. Os manifestantes, porém, fecharam toda a pista.

“Eles descumpriram o acordo, e a PMDF foi sendo cautelosa para evitar o confronto”, disse a assessoria da corporação. Muitos manifestantes ostentavam bandeiras com hastes de madeira e bambu, mas, até as 18h, não houve nenhuma confusão.

A PMDF garante ter feito revistas para evitar que o material pudesse ser utilizado irregularmente na manifestação. “Porém, no caminho, eles pegaram pedaços de madeira e usaram como hastes das bandeiras. A Polícia Militar está tentando, com base na negociação, retirar esse material dos manifestantes”, informou a corporação.

A PM destacou um contingente de 1,2 mil policiais militares para acompanhar a marcha. Durante o trajeto até o TSE, os integrantes do movimento entoavam gritos de apoio como “Lula, guerreiro do povo brasileiro”.

Aguarde mais informações

Últimas notícias