Justiça recebe ação popular contra retomada de atividades comerciais no DF

Integrantes do Movimento pela Vida fizeram manifesto contra o fim da quarentena na capital e pedem apoio à Justiça

atualizado 07/07/2020 18:26

Sede do TJDFTDANIEL FERREIRA/METRÓPOLES

Após o lançamento do manifesto “em defesa da vida no Distrito Federal e no Brasil”, em 2 de julho, organizadores do movimento entraram na Justiça, nesta terça-feira (7/7), com uma ação popular contra a reabertura total da economia no Distrito Federal. A intenção é frear a contaminação do novo coronavírus na capital

Na ação de autoria do advogado e ex-candidato ao Senado pelo PSol Marivaldo Pereira, do jornalista Hélio Doyle, do cientista político Leandro Couto e do integrante do Conselho de Saúde Rubens Bias, eles pedem a suspensão do decreto do governador Ibaneis Rocha (MDB), que reabre comércio, academias, escolas, restaurantes, parques e outros até que os estudos que demonstram a ausência de riscos para a população sejam apresentados.

Segundo o autor da ação, Marivaldo Pereira, a edição do decreto ocorre em período muito próximo ao reconhecimento do governador do estado de calamidade no Distrito Federal devido à Covid-19.

“O governador reconhece que a situação é crítica e adota uma medida para tornar a situação ainda pior. É uma postura que mostra o desrespeito à vida, à ciência e a falta de transparência. É por isso que tanta gente está aderindo ao Manifesto Pela Vida”, afirmou o advogado autor da ação.

O texto

Em 2 de julho, críticos às medidas adotadas pelo GDF diante da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, políticos, advogados, jornalistas e representantes da sociedade civil lançaram um manifesto “em defesa da vida no Distrito Federal e no Brasil”. Hoje, o manifesto tem cerca de 16 mil assinaturas.

Conforme informou a Coluna Grande Angular à época, o  texto é assinado por dois ex-governadores: Rodrigo Rollemberg (PSB) e Cristovam Buarque (Cidadania). Também endossam o documento, o senador pelo DF José Antônio Machado Reguffe (sem partido); dois os deputados federais Erika Kokay (PT) e Israel Batista (PV); e quatro distritais: Fábio Felix (PSol), Leandro Grass (Rede Sustentabilidade), Arlete Sampaio (PT) e Chico Vigilante (PT).

“Este é um manifesto de cidadãs e cidadãos do Distrito Federal em defesa do isolamento social, da saúde e da vida, que não podem estar sujeitas a atitudes que desprezam a ciência e servem a interesses políticos e econômicos”, conclui o texto com críticas a Ibaneis Rocha (MDB) e ao presidente da República, Jair Bolsonaro.

Últimas notícias