Justiça homologa acordo entre Ibaneis Rocha e Sara Winter

O emedebista ingressou na Justiça com uma ação de indenização por danos morais contra a integrante do grupo 300 do Brasil

atualizado 27/11/2020 23:46

Sara WinterIgo Estrela/Metrópoles

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) homologou nesta sexta-feira (27/11) acordo entre o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), e a ativista bolsonarista de extrema-direita Sara Fernanda Giromini, autodenominada Sara Winter.

Em vídeo divulgado na internet, publicado em 14 de junho de 2020, a líder do acampamento 300 do Brasil chama Ibaneis de “um puta de um bandido”. A ativista também alega que o decreto assinado pelo governador, fechando a Esplanada dos Ministérios quando o grupo de Sara estava acampado em frente ao Ministério da Justiça, tinha como objetivo “enfraquecer” toda a militância de rua bolsonarista.

Em junho, o governador entrou com ação contra a extremista, por considerar ofensivos os conteúdos das postagens. Em 22 de outubro, a 10ª Vara de Brasília designou audiência de conciliação entre as partes.

Nesta sexta-feira, ficou ajustado que Sara irá entregar 100 cestas básicas a instituições indicadas pelo governador. Além disso, ela se retratou das manifestações verbais e escritas, alegando ter sido movida pelo “calor da emoção”, e não ter tido intenção de ofender a honra de Ibaneis.

Segundo a retratação, a extremista declarou “as mais sinceras desculpas pelos excessos cometidos pelo uso da palavra, entende que a retratação é justa e cabível, bem como exemplo aos demais manifestantes, para que entendam a importância da autocomposição dos conflitos e a primazia pela paz”.

Winter também pediu que a população do Distrito Federal, onde mora, “tome como incentivo este ato para prezar sempre pela solução pacífica dos conflitos, sobretudo entre povo e governo, enquanto eleitores”. Por fim, ela agradeceu a oportunidade e parabenizou Ibaneis “por concordar com o encerrar do que seria um desgaste de emoções apesar das diferenças ideológicas, desejando que outros líderes sigam o exemplo, priorizando a conciliação, promovendo a paz, a civilidade e respeito recíprocos”.

A advogada do governador, Estefania Viveiros, indicou ter sido fundamental a atuação da mediadora, e destacou que, apesar de a formação jurídica se dar com ênfase no combate, é fundamental perceber que a paz deve ser o valor de maior importância. (Com informações do TJDFT)

0

Últimas notícias