*

Mais lidas

Policiais civis do DF voltam ao banco dos réus

O Tribunal do Júri de Brasília começou nesta segunda-feira (19/9) o julgamento de Ricardo Cardoso e Marcos Fernandes, que tiveram júri e condenação de 2012 anulados após recurso. Eles são acusados de executar técnico em informática em 2000

Daniel Ferreira/Metrópoles
Da Redação
 

O Tribunal do Júri de Brasília começou nesta segunda-feira (19/9) o julgamento dos policiais civis Ricardo Cardoso e Marcos Fernandes, que tiveram júri e condenação de 2012 anulados após recurso. Os policiais são acusados de executar o técnico em informática Cláudio Antônio Araújo Ribeiro, em 2000, e respondem por homicídio qualificado. Cardoso também é acusado de formação de quadrilha.

Em 2012, Marcos Fernandes e Ricardo Cardoso foram condenados a 17 anos de reclusão, em regime inicial fechado, com direito a recorrer da sentença em liberdade. Os réus foram acusados inicialmente de matar Cláudio para esconder a prática reiterada de outros crimes, como furtos, roubos, ameaças e receptações, cometidos entre julho de 1998 e julho de 2000.

Segundo a denúncia do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), insatisfeitos com a participação de Cláudio no bando e receosos de uma delação, os dois policiais resolveram fazer queima de arquivo. Os acusados resolveram, então, combinar um novo crime com Cláudio e pediu que ele os encontrasse por volta das 23h, no KM 6, da DF-335. A vítima, sem desconfiar de seus comparsas, foi atingida por vários disparos de arma de fogo e morreu no local. O novo julgamento está previsto para terminar na sexta-feira (23). (Com informações do TJDFT)

 

 

 

COMENTE

TJDFTjulgamentoexecuçãorecursopoliciaisjúri
comunicar erro à redação

Leia mais: Justiça