Membro de gangue do DF que matou pai de rival por engano é condenado

Adaías Nonato dos Santos abriu fogo contra um membro de outra facção, em Santa Maria, mas os disparos vitimaram o alvo errado

Ednilson Aguiar/O LivreEdnilson Aguiar/O Livre

atualizado 01/02/2019 19:21

O Tribunal do Júri de Santa Maria condenou Adaías Nonato dos Santos a 23 anos de reclusão pelo assassinato e tentativa de homicídio praticados contra um homem e o filho da vítima, respectivamente. O crime, ocorrido em dezembro de 2012, foi motivado por uma briga envolvendo duas gangues rivais de Santa Maria. O julgamento ocorreu nessa quinta-feira (31/1).

Morador da Quadra 205 de Santa Maria, Adaías residia no perímetro conhecido como Faixa de Gaza, que envolve as quadras 204, 205, 206 e 207. O filho do homem assassinado, por sua vez, morava na 204 e era membro do Comboio do Cão.

Quando passava pela rua da vítima, Adaías, que estava no banco do carona de um carro, disparou na direção do jovem, que chegou a ser atingido, mas sobreviveu. No entanto, um dos disparos atingiu Haroldo Marques da Silva, pai do alvo do atirador. O homem não resistiu aos ferimentos e morreu.

Em julho de 2018, a vítima da tentativa de homicídio já havia sido condenada a 18 anos pelo assassinato de um grupo rival.

Na sentença, o júri aceitou as duas qualificadoras apresentadas na denúncia: que Adaías agiu por motivo torpe e utilizou recurso que dificultou a defesa da vítima.

(Com informações do MPDFT)