Justiça condena aposentado por injúria racial contra porteiro

A pena fixada foi de um ano de reclusão em regime aberto e multa. Crime ocorreu em janeiro de 2014, na Asa Sul

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) condenou um aposentado pelo crime de injúria racial. Segundo o Ministério Publico do DF (MPDFT), o homem ofendeu o porteiro do edifício onde mora, na Asa Sul, utilizando expressões referentes à raça e à cor da vítima. A pena fixada foi de um ano de reclusão em regime aberto e multa.

A denúncia do MPDFT afirma que, em janeiro de 2014, enquanto o elevador do condomínio passava por manutenção, o réu começou a reclamar e, dirigindo-se à guarita onde estava o porteiro, intimidou e ofendeu o funcionário, chamando-o de “preto pobretão”, além de outras humilhações. Os insultos foram proferidos em voz alta, diante de várias pessoas.

O Ministério Público ofereceu a possibilidade de um acordo que permitiria a suspensão condicional do processo, mas o réu não aceitou. Para o promotor de Justiça Thiago Pierobom, a condenação é importante para a mudança de comportamento. “Todas as pessoas devem ser respeitadas, independentemente de cor ou classe social. É inadmissível que um morador de edifício de classe média ofenda um porteiro de prédio com expressões racistas”. (Com informações do MPDFT)