O Tribunal do Júri de Santa Maria condenou, nesta quarta-feira (6/2), Adaias Nonato dos Santos a 23 anos de prisão em regime fechado por ter matado, por engano, Haroldo Marques da Silva. O alvo era um desafeto, que também foi atingido por tiros, mas sobreviveu.

O crime ocorreu em 19 de dezembro de 2011, por volta das 21h30, na QR 204 de Santa Maria. Adaias estava no banco de trás de um veículo, quando abriu fogo contra Pablo Daniel Guerra Silva. As balas não atingiram nenhum ponto letal e o alvo, que pertencia a um grupo rival, conseguiu se recuperar dos ferimentos.

Apesar de ter matado Haroldo por engano, ao errar a pessoa que tinha como verdadeiro alvo, o réu respondeu por homicídio qualificado consumado, como se efetivamente houvesse matado a vítima desejada.

Adaias já cumpria pena por outra condenação, com sentença transitada em julgado, e não terá direito de recorrer em liberdade. (Com informações do TJDFT)