Janaína Paschoal adere à pauta sexual do governo por abstinência

Deputada estadual de São Paulo disse no Twitter que "diversão não implica perder o freios"

Rafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 02/02/2020 9:15

A deputada estadual paulista Janaína Paschoal (PSL-SP) decidiu aderir à campanha defendida pela ministra Damares Alves pela abstinência sexual. Pelo Twitter, neste domingo (02/02/2020), a advogada, que ganhou projeção nacional como autora do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), disse que a iniciativa no período do Carnaval é “importantíssima”.

“Importantíssimo o fato de a ministra Damares lançar a campanha para desestimular o sexo na adolescência, no mês do Carnaval. A iniciativa será útil a dois fins, mostrar aos adolescentes que tudo tem seu tempo e lembrar também adultos que diversão não implica perder o freios. Todo corpo é um Templo!”, escreveu a jurista.

A ministra Damares Alves defendeu a prática como forma de enfrentar gravidez precoce e proliferação de doenças sexualmente transmissíveis no país e quer transformá-la em política pública.

Críticas

A campanha ganhou críticas sobre a real eficácia da medida. Recentemente, a Defensoria Pública da União (DPU) e a Defensoria Pública de São Paulo enviaram recomendação ao Ministério da Saúde e ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos para que não veiculem a campanha voltada para adolescentes que prega a abstinência sexual como forma de prevenção.

O principal argumento dos órgãos é de que pregar a abstinência como política pública para prevenção não tem nenhum suporte científico — pelo contrário, apontam que há diversas pesquisas nacionais e internacionais que demonstraram a ineficiência de campanhas desse tipo em políticas públicas.

Veja o post:

Reprodução / Twitter

Últimas notícias