Ilson de Figueiredo, pioneiro de Brasília, morre de Covid-19 aos 83 anos

Ele chegou em Brasília quando a cidade ainda estava sendo construída, em 1959, e trouxe a família para a capital

atualizado 05/08/2020 19:29

Arquivo pessoal

Faleceu na manhã desta 4ª feira (5/8), em decorrência da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, o servidor aposentado do Senado Federal Ilson de Figueiredo. Ele chegou em Brasília quando a cidade ainda estava sendo construída, em 1959, e foi um dos pioneiros da nova capital.

Quando decidiu tentar a vida no Distrito Federal, Ilson tinha acabado de se casar, lembram os filhos. Mesmo assim, partiu sozinho de Corumbá, no Mato Grosso do Sul. Estabeleceu-se, primeiro, no Núcleo Bandeirante, que ainda se chamava Cidade Livre.

“Ele veio com o espírito de esperança e de empreender, como todos os pioneiros. Na época, usou uma pequena quantia que tinha ganhado na loteria esportiva para construir um hotel de madeira, muito simples. Os clientes eram outros pioneiros que chegavam para trabalhar na construção da cidade”, conta o jornalista Samuel Figueiredo, filho de Ilson.

Com as condições mínimas estabelecidas, Ilson trouxe para Brasília a esposa, Lenira, e alguns irmãos e parentes para também viverem na nova capital. Mas um incêndio colocou fim ao hotel. Ilson, então, teve vários tipos de trabalho para sustentar a família. “Na época, não faltava serviço em Brasília. Meu pai fez um pouco de tudo. Foi comerciante, autônomo, fez bicos”, recorda Samuel.

Depois de alguns anos, Ilson conseguiu um trabalho no Senado Federal, onde trabalhou por mais de 30 anos, até se aposentar. “Ele sempre ia trabalhar com sorriso no rosto. Fez muitos amigos. Ele tinha muito orgulho de falar que trabalhava no Senado”, lembra o filho.

Ilson era evangélico. Com a esposa, Lenira, frequentava a Congregação Cristã no Brasil do Cruzeiro Velho, bairro no qual o casal viveu a maior parte de suas vidas.

Aos 83 anos, Ilson batalhou contra a Covid-19 por 15 dias. Aos médicos, dizia querer voltar logo para casa para estar ao lado da esposa e dos demais familiares. “Ele não desistiu até o último momento”, relata o filho Samuel. Ilson faleceu na manhã desta 4ª feira (5/8). Deixou a esposa, 7 filhos, 16 netos e 8 bisnetos.

Últimas notícias