Ibaneis prevê volta das aulas públicas presenciais entre junho e julho

Governador fez a previsão durante vistoria em reforma de escola pública em Planaltina. Regresso sem a vacinação divide pais e professores

atualizado 07/05/2021 19:41

Ibaneis RochaHugo Barreto/Metrópoles

O governador Ibaneis Rocha (MDB) prevê a volta das aulas presenciais na rede pública entre os meses de junho e julho de 2021. O emedebista fez a estimativa nesta sexta-feira (7/5), durante visita a obras em uma escola de Planaltina. A fim de conter o avanço da pandemia de Covid-19, o governo adotou o modelo de ensino remoto em 2020 e neste ano.

“Para que no reinício das aulas, que nós estamos prevendo que será entre junho e julho, a gente já possa ter aqui esse número de pessoas, de alunos estudando”, pontuou.

A retomada divide opiniões. O Sindicato dos Professores do DF (Sinpro-DF) é contra. Para a entidade, a volta com segurança está condicionada à vacinação contra Covid dos docentes.

Para o diretor do Sinpro Samuel Fernando, não há a menor possibilidade de retorno presencial sem imunização. “E após o período da segunda dose da vacina. Não é apenas aplicar uma dose. Isso nem começou”, ressaltou.

“Nós queremos que todos os profissionais da educação nas escolas sejam vacinados”, destacou Fernandes. Para os professores, além da imunização, também são necessárias condições de segurança sanitária.

A Associação de Pais e Alunos das Instituições de Ensino do DF (Aspa-DF), porém, defende o regresso escalonado, focando nas crianças mais novas, carentes e com necessidades especiais, seguindo os protocolos sanitários.

“Mais do que anunciar a intenção, temos que ver atitudes na prática. Não basta dizer que vai voltar. Tem que ter todas as condições para que isso ocorra. Primeiro a articulação com os professores, alunos, pais e a preparação de estrutura para que isso, de fato, ocorra. Os pais tiveram um anúncio parecido no ano passado e isso não se concretizou. Então esperamos que isso não venha a ocorrer novamente. Mais do que uma promessa, que seja efetivado e cumprido”, disse o presidente da Aspa, Alexandre Veloso.

Por outro lado, as escolas particulares retomarão as aulas presenciais. Será adotado um modelo híbrido, em que os pais vão decidir se os filhos seguem em sala de aula ou com classes remotas.

 

Últimas notícias