Ibaneis diz que transporte do DF “não presta” e anuncia licitação

Governador também afirmou que negocia com o Executivo federal apoio na expansão do metrô em Ceilândia

Vinícius Santa Rosa/MetrópolesVinícius Santa Rosa/Metrópoles

atualizado 22/01/2020 19:42

O governo do Distrito Federal (GDF) lançará nova licitação para o serviço de transporte público até o fim de 2020. A palavra é do governador Ibaneis Rocha (MDB). O emedebista assumiu o compromisso na manhã desta quarta-feira (22/01/2020), após o lançamento do programa de microcrédito do Banco Regional de Brasília (BRB), na Asa Sul.

“Nós estamos preparando a licitação para ser lançada até o fim do ano. Para que a gente tenha até que se finde o contrato todas as discussões, as audiências públicas”, disse. O GDF recebeu críticas por causa do reajuste nas tarifas, no início deste ano.

O chefe do Executivo local reclamou do atual sistema. “É fácil criticar o transporte público dessa cidade, porque realmente não presta”. Ele ainda afirmou que a realidade do Distrito Federal é diferente da encontrada em outras capitais do país.

“Em São Paulo, você reabastece (o ônibus de pessoas) a cada ponto. Aqui, não. Você faz o transporte de ponta a ponta. Então, você abastece em Ceilândia e despeja no Plano Piloto”, argumentou.

Novo modelo

Ibaneis afirmou que o novo modelo precisa ser muito bem planejado para evitar as polêmicas atuais, a exemplo da tarifa técnica e das gratuidades como o Passe Livre Estudantil — essa última questão, muito criticada pelo governador.

“Onde estavam quando foi feita essa licitação ruim? Quem fez essa licitação não fui eu não. Quem inventou essa tal de tarifa técnica não fui eu”, se esquivou. “Nós temos que tentar melhorar o transporte do DF, que está atrasado desde o início. Não funciona desde que foi criado”, apontou.

Ainda na área do transporte público, Ibaneis afirmou que negocia com o governo federal apoio para a expansão do metrô em Ceilândia.

O secretário de Transporte do Distrito Federal, Valter Casimiro, havia afirmado na terça-feira (21/01/2020) que o GDF estudava uma nova licitação. E que a inclusão de micro-ônibus no sistema estava em análise, segundo conversas com deputados distritais. A ideia seria fazer com que esses veículos menores façam linhas de curta distância nas cidades.

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) referendou, em 2018, a decisão de anular a concorrência pública do sistema de ônibus do governo local. A concorrência pública foi realizada em 2011, durante a gestão Agnelo Queiroz (PT), e teve um valor de R$ 7,8 bilhões.

A licitação também foi alvo da CPI do Transporte na Câmara Legislativa, de ação popular e de questionamento do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).

Últimas notícias