Ibaneis destinou R$ 7 mi de orçamento paralelo para cidades onde tem fazendas, diz jornal

Parte da cota do orçamento do governo federal seguiu para os municípios de Sebastião Barros, Corrente e Oeiras

atualizado 14/05/2021 11:50

governador Ibaneis Rocha

O governador Ibaneis Rocha (MDB) teria destinado R$ 7 milhões do orçamento liberado pelo governo federal para contemplar a base de apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas cidades onde o chefe do Executivo local é dono de fazendas de gado. As informações são do jornal O Estado de São Paulo. Segundo reportagem publicada nesta sexta-feira (14/5), para Sebastião Barros, onde fica a sede de uma das propriedades, o governador teria destinado R$ 4,7 milhões. O dinheiro deve ser aplicado na recuperação de estradas, compra de tratores, construção de ponte e instalação de postes de energia elétrica.

Ainda de acordo com o Estadão, Ibaneis enviou R$ 1,4 milhão para a recuperação de estradas vicinais em Corrente, cidade do Piauí onde passou a infância. Em Oeiras, na região central do estado, foram investidos R$ 428 mil na compra de tratores, roçadeiras, caminhões-tanque e batedeiras de cereais.

Na quinta-feira (13/5), o Estadão revelou que o emedebista havia recebido R$ 15 milhões do chamado orçamento secreto. Parte do dinheiro do Ministério do Desenvolvimento Regional foi direcionada ao Distrito Federal, e o outro montante, repassado ao Piauí.

Ibaneis fala

Após inauguração do Hospital de Campanha do Autódromo, nesta sexta-feira (14/5), Ibaneis comentou sobre o assunto. Disse desconhecer orçamento paralelo. “Primeiro, porque eu não pratico, não participo de orçamento. A única coisa que eu faço, e faço pela influência que tenho, é pedir verbas, seja para o DF, seja para outros locais onde eu sou procurado”, destacou.

O governador disse ainda que está tranquilo em relação ao tema. “Tudo foi publicado no Diário Oficial, oficiado ao ministério (do Desenvolvimento Regional) e foi encarregado através de licitações, nesse caso específico, pela Codevasf. Então, essa história de orçamento paralelo foge da minha compreensão. De onde veio esse dinheiro senão do orçamento-geral da União? Não conheço essa peça paralela, mas certamente as autoridades vão poder apurar e dizer se realmente existiu esse orçamento paralelo”, assinalou.

Na quinta-feira (13/5), também ao ser questionado sobre o envio dos recursos ao Piauí, o governador do DF alegou que “não tem nada de irregular” na operação.

Ibaneis disse ter recebido os recursos por meio de emendas liberadas, a partir da atuação política junto a parlamentares, e especificou alguns dos projetos que serão financiados a partir da liberação desse dinheiro.

“Um dos projetos chama-se Caminho das Escolas, pelo qual vamos asfaltar [ruas] próximas a escolas rurais, para que as crianças não andem nas estradas de terra. E tudo isso veio de forma legal. Foi destinado à Codevasf [Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba], que está fazendo investimento aqui na nossa região, com o trabalho que nós fizemos de incluir parte do Distrito Federal, na área de influência da Codevasf”, declarou Ibaneis, na ocasião.

Colaborou Caio Barbieri

 

Últimas notícias