Ibaneis cede terreno para construir nova unidade da Fazenda Esperança no DF

Atualmente, existem 150 unidades do tipo espalhadas pelo mundo. O projeto social acolhe população carente, grande parte de moradores de rua

atualizado 01/10/2020 17:40

Homens caminhando no matoDivulgação

O governador Ibaneis Rocha (MDB) assinou o termo de cessão de uso de terreno da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) para a construção de uma nova unidade Fazenda Esperança no Distrito Federal. De acordo com o diretor de regularização da Terracap, Leonardo Mundim, o terreno de 360 mil metros quadrados, que fica na área rural de Ceilândia, será cedido à Secretaria de Justiça.

Na leitura do administrador regional Ceilândia, Marcelo Cunha, a Fazenda Esperança veio para socorrer pessoas. “Esse trabalho não vai apenas acolher, mas também resgatar e dar dignidade”, comentou.

Segundo o presidente da Fazenda Esperança no Brasil, Frei Hans, atualmente existem 150 unidades do tipo espalhadas pelo mundo. O projeto social acolhe população carente, grande parte moradores de rua. Mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus, o projeto Fazenda Esperança continua acolhendo pessoas em situação de vulnerabilidade.

0
Unidade masculina

A nova unidade no DF vai atender apenas homens, uma vez que já existe uma entidade feminina na capital federal. O governador relembrou que, neste ano, em função da pandemia, falou-se muito sobre a Saúde, mas pouco sobre assistência social.

“Em 2021, o meu salário será integralmente destinado ao projeto. Serei o embaixador da Fazenda Esperança”, disse Ibaneis, que prometeu trabalhar para sensibilizar servidores a contribuir com a construção na nova unidade da casa.

O governador afirmou que na tarde desta quinta-feira (1º/10), a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) assina convênio com a Fazenda Esperança. “As drogas entram em todas as casa. Isso acontece, e acontece em todos os lares. Nós precisamos de comunidades terapêuticas para atender a todos”, disse Ibaneis.

“Nosso compromisso é diário com luta para prevenção e combate ao uso de drogas. Realmente acreditamos na mudança do seres humanos e nesse tipo de acolhimento, que é capaz de transformar realidades e salvar pessoas do mundo das drogas”, afirmou a titular da Sejus, Marcela Passamani.

Segundo a secretária, a construção dessa nova unidade, com recursos dos governos federal e distrital, representará um reforço no trabalho desenvolvido pela Sejus, responsável pela política de enfrentamento às drogas no DF.

Atualmente, a pasta tem convênio com 12 comunidades terapêuticas e outras 26 são credenciadas junto ao Conselho de Políticas Sobre Drogas (Conen). Esses espaços oferecem programas intensivos e estruturados gratuitos para auxiliar na recuperação da dependência química, por meio do acolhimento voluntário de usuários e dependentes de drogas.

Últimas notícias