Homem que matou companheira e ocultou cadáver em esgoto é condenado no DF

O crime aconteceu em 9 de maio de 2019. Ele foi condenado a 19 anos de prisão

atualizado 05/11/2020 19:22

JP Rodrigues/Metrópoles

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) condenou o réu Henrique Farley Carneiro de Almeida a 19 anos e seis meses de prisão, por feminicídio e ocultação de cadáver. O homem matou a própria companheira, Maria de Jesus Nascimento.

A princípio, o réu foi pronunciado para ser julgado pelo Tribunal do Júri sob a acusação de cometer homicídio triplamente qualificado, no entanto, em plenário, os jurados acolheram apenas a qualificadora do feminicídio.

Segundo o juiz, a conduta do réu, “com plena consciência da ilicitude, foi extremamente censurável, revelando imenso desvalor pela vida humana”. O crime ocorreu no dia 9 de maio de 2019, no interior da residência do casal, no Setor de Chácaras Santa Luzia.

Segundo a denúncia do MPDFT, o acusado atingiu a vítima com um golpe de faca no peito e, logo em seguida, deixou a vítima agonizando no chão do barraco onde viviam até que ela morresse. No dia seguinte, o réu embalou o corpo da vítima em lençóis e, com auxílio de um carrinho de supermercado, transportou-o até um bueiro próximo a sua residência, no qual ocultou o cadáver.

O réu respondeu ao processo preso, deverá iniciar o cumprimento da pena em regime fechado e não poderá recorrer da sentença em liberdade.

0

Últimas notícias