Homem baleado na cabeça após fechada no trânsito está com pneumonia

Weverton Leonardo Elias está no Instituto Hospital de Base e passará por traqueostomia. Segundo a mãe dele, o estado de saúde é grave

Instagram/ReproduçãoInstagram/Reprodução

atualizado 15/08/2019 16:53

O estado de saúde de Weverton Leonardo Elias, de 31 anos, baleado na cabeça após uma briga de trânsito, evoluiu. De acordo com a mãe da vítima, Nilza Terezinha Perruchetti, ele chegou a responder a alguns estímulos, como apertar a mão dela. No entanto, um quadro de pneumonia fez com que os pequenos avanços fossem cessados. “O estado é grave, mas o pior já passou”, disse a mulher.

A doença foi detectada nesse domingo (11/08/2019). Segundo Nilza, o filho está tossindo bastante e apresentando febre, o que não contribui para a melhora do cérebro. “Está tomando dois antibióticos para tentar melhorar e autorizei que fosse feita uma traqueostomia”, explica. A pequena abertura feita na traqueia tem o intuito de facilitar a entrada de ar e a retirada da secreção do pulmão.

A pneumonia, no entanto, não desanima a mãe de Weverton. Ela conta que no sábado (10/08/2019) o filho respondeu aos pequenos estímulos que foram feitos. “Conversei com ele e pedi para que apertasse minha mão se estivesse me ouvindo. Deu para sentir uma pequena pressão. Mesmo depois da doença, ele ainda responde”, comenta.

Autor dos disparos foi indiciado

O autor do disparo que atingiu a cabeça de Weverton na noite de 2 de agosto, na Avenida Elmo Serejo, foi indiciado por tentativa de homicídio duplamente qualificada – por motivo fútil e por impossibilitar a reação da vítima. O caso foi revelado pelo Metrópoles.

O ex-policial militar Francisco Cipriano Vieira, 49, apresentou-se na 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro) na tarde do dia 7. A Polícia Civil não revelou o nome do suspeito, apenas as iniciais.

Por meio de imagens de câmeras de segurança, os investigadores conseguiram ver a briga de trânsito que motivou o crime. A gravação mostra o momento que teria precedido o disparo. Nas imagens, o veículo conduzido por Weverton, um Gurgel, fecha o Fiat Uno do ex-sargento e faz zigue-zague na pista.

 

De acordo com Paulo Henrique de Almeida, delegado-adjunto da 12ª DP, o autor, que não está preso, será interrogado nos próximos dias. “Agora, juntamos os laudos e nossos relatórios para encaminhá-los ao Ministério Público”, informou.

Segundo Almeida, Francisco Cipriano confessou o crime, mas não foi detido porque não houve prisão em flagrante e não há ordem judicial que determine a prisão do ex-sargento. “Só poderíamos realizar a prisão neste caso se fosse identificado risco de fuga ou ameaça ao processo. Nessas situações, poderia ser pedida a prisão à Justiça. Mas não é o caso, pois o suspeito veio aqui se apresentar com o advogado dele”, explicou.

Após analisar as imagens de câmeras de segurança do supermercado Super Adega, na QNL 2, que fica de frente para a via Elmo Serejo, os investigadores identificaram os carros dos envolvidos.

“Pelas imagens, a gente percebe que eles vêm discutindo ao longo da Elmo Serejo, que um tenta passar o outro, ficam em zigue-zague. Motivo totalmente desproporcional [para o tiro]. Uma briga de trânsito que acabou com uma pessoa gravemente ferida”, comentou o delegado.

 

Policial aposentado

Ainda de acordo com o delegado, Cipriano é um segundo sargento da Polícia Militar do Distrito Federal aposentado há um ano e meio. Ele também já trabalhou como instrutor de tiro. Por causa disso, a arma que usou no crime está regularizada. No entanto, Almeida ressaltou que disparar tiro com um veículo em movimento “é desaconselhado em qualquer manual da polícia”.

“Não se pode atirar em um veículo em movimento, ainda mais ele sendo um policial aposentado que também era instrutor de tiro. Você pode acabar acertando outra pessoa ou até levando o autor a óbito”, afirmou Almeida.

Últimas notícias