Golpistas alugaram imóveis que não eram deles a pelo menos 20 pessoas

Grupo agiu nas cidades de Ceilândia, Samambaia, Riacho Fundo, Taguatinga e Sobradinho, totalizando prejuízo superior a R$ 3 mil

atualizado 10/07/2019 15:17

Divulgação/PCDF

Uma mulher foi presa, na manhã desta quarta-feira (10/07/2019), em Ceilândia, sob acusação de participar de organização criminosa especializada em aplicar golpes ao alugar imóveis que não lhe pertencia. Conforme a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), outros três integrantes do grupo já estavam detidos desde o ano passado como parte da Operação Falsa Sua (em latim, falso aluguel). Resta encontrar Daniela Silva Lisboa, considerada mentora das operações e irmã da suspeita detida.

“Já foram apurados 20 procedimentos em que o grupo agiu, nas cidades de Ceilândia, Samambaia, Riacho Fundo, Taguatinga e Sobradinho, totalizando prejuízo superior a R$ 3 mil. Daniela está com o mandado de prisão preventiva em aberto e ainda encontra-se foragida”, destacou o delegado-chefe da 24ª DP, Ricardo Viana.

As investigações apontaram que o grupo visitava imobiliárias e pegava as chaves dos imóveis que estavam para locação e as copiava. Logo em seguida, os anunciavam em paredes ou mercados de grande movimentação. Os interessados passavam a fazer contato diretamente com os estelionatários que, mediante fraude, alugavam o apartamento ou a casa e ficavam com o dinheiro que era depositado em contas previamente determinadas.

Para localizar a mulher presa nesta quarta-feira (10/07/2019), a PCDF contou com a ajuda de dois sobrinhos da acusada, também envolvidos na organização criminosa. O ex-companheiro dela está recolhido no sistema prisional de Goiânia (GO), mas deve ser transferido para Brasília em breve. A polícia solicitou a divulgação da foto de Daniela para ajudar nas buscas por ela.

Divulgação/PCDF

Últimas notícias