GDF avança no projeto de expansão do Metrô para a Asa Norte

Estudos de demanda por transporte incluem outras duas estações em Ceilândia e duas em Samambaia. Previsão é investir R$ 681 milhões

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 27/12/2019 9:16

A Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) concluiu os estudos de demanda por transporte público na área central de Brasília. Eles complementam os projetos para expansão dos trilhos em Ceilândia e Samambaia, além da Asa Norte, que até hoje não tem estação. Agora, o GDF aguarda a liberação de recursos do governo federal.

Os estudos de modelagem e macrossimulação de demanda na área central de Brasília foram apresentados ao Metrô-DF em novembro deste ano pela Logit Engenharia.

A empresa foi contratada em 2016, por R$ 1,2 milhão, para fazer estudo de mobilidade do DF. Desse valor, já foram pagos R$ 997 mil. Uma das soluções mais eficientes apontadas pela Logit para resolver o problema do transporte na capital é aumentar a malha metroviária.

A previsão é investir R$ 681,3 milhões nas obras. O valor inclui a construção de cinco estações: a Galeria do Trabalhador, na Asa Norte, duas em Ceilândia e duas em Samambaia.

O Metrô-DF transporta hoje 175 mil passageiros por dia, com linha total de 42,38 km de extensão. Com a expansão, prevista no projeto básico desde 2014, serão 3,6 quilômetros a mais em Samambaia, o que deve tirar das ruas pelo menos três mil carros.

Em Ceilândia, a estimativa é de mais 2,3 km de trilhos, aumentando o atendimento em 12 mil usuários e reduzindo cinco mil veículos individuais nas ruas do DF. A expansão da Asa Norte, contando somente a primeira estação das sete previstas, levaria nove mil usuários por dia aos destinos.

Governo federal

De acordo com o governador Ibaneis Rocha (MDB), a expansão faz parte das políticas de transporte público tocadas pelo GDF.

“Estive na semana passada com o ministro Gustavo Canuto (do Desenvolvimento Regional) e ele nos assegurou que vai liberar a expansão de Ceilândia e de Samambaia”, afirmou o chefe do Executivo distrital, em entrevista ao Metrópoles.

Segundo Ibaneis, é preciso pensar o Metrô a todo o momento. “Quero expandir para mais áreas de Taguatinga, Santa Maria, e ainda abranger Riacho Fundo I, Riacho Fundo II, Recanto das Emas e Gama”, destacou.

Até o fim do primeiro semestre de 2020, devem ser inauguradas estações que já estão em obras: as da 106 Sul e 110 Sul, no Plano Piloto, e a da Estrada Parque, entre Águas Claras e Taguatinga. Com a conclusão dessas obras, o Metrô espera transportar 200 mil passageiros por dia.

Últimas notícias