*
 

A atitude de uma diretora revoltou parentes de uma aluna do 6º ano do ensino fundamental do Colégio Notre Dame Brasília, na 914 Sul, e tem provocado muita discussão nas redes sociais. Tudo porque a irmã Loiva Urban sugeriu à mãe da menina que ela cobrisse a cabeça porque sua imagem “era agressiva à sociedade”. Carol Venâncio Duarte está em tratamento contra um câncer e, por conta disso, perdeu os fios de cabelo.

O caso veio a público por meio de uma postagem feita pela irmã de Carol, Camila Venâncio Duarte. Segundo ela, a sobrinha passou a sofrer bullying no colégio. “Algumas crianças se afastaram dela dizendo que têm nojo devido à doença da minha irmã. Isso trouxe muito sofrimento a todos nós”, destacou Camila, pelo Facebook.

Carol, então, procurou a diretora da escola e a irmã Loiva sugeriu que ela usasse peruca ou chapéu, pois sua imagem era “agressiva”. Sem acreditar no que tinha ocorrido, Camila diz que foi ao colégio conversar com a diretora. “Ela me disse que a imagem da minha irmã assustava. Perguntei a quem ela assustava. Disse que a todos”, afirmou.

No desabafo que fez nas redes sociais, Camila defende Carol. “Você é meu exemplo de força e coragem”. E critica a postura de irmã Loiva. “Assustador é seu ódio e preconceito. A senhora, sim, é uma agressão à sociedade, cruel, má e desumana”, afirma. Até as 12h30 desta quarta-feira (1º/8), a postagem tinha 1,1 mil curtidas, 319 comentários e 427 compartilhamentos.

O desabafo de Camila foi feito na segunda-feira (30/7). No mesmo dia, em comunicado divulgado, a administração do Colégio Notre Dame informou que a irmã Loiva não responde mais pela direção da escola.

Consultada, a assessoria de comunicação da instituição de ensino não quis comentar o caso, mas afirmou que a irmã está afastada e não faz mais parte do quadro de funcionários do Notre Dame Brasília.

Reprodução


Doações
Por conta do episódio, a garotinha foi transferida de escola. Ela ganhou uma bolsa de estudos no Sigma. Pensando em ajudar, um grupo de mães do novo colégio da menina se mobilizou nas redes sociais e conseguiu doações de uniformes e livros.

Muito abalada, Carol não quis comentar o caso. Ela registrou ocorrência na Polícia Civil contra a ex-diretora.