PM cerca Catedral após bispo ser ameaçado por apoiadores de Bolsonaro

Integrantes da inteligência do governo detectaram que remanescentes do grupo 300 do Brasil estariam ameaçando dom Marcony Vinícius Ferreira

atualizado 17/06/2020 6:00

Igo Estrela/Metrópoles

Após o bispo dom Marcony Vinícius Ferreira ser alvo de ameaças de remanescentes do grupo 300 do Brasil, diversas viaturas da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) estiveram na Catedral Nossa Senhora Aparecida para garantir a segurança do religioso.

O flagrante (na foto em destaque e galeria abaixo) é do repórter fotográfico Igo Estrela, do Metrópoles, e foi feito na noite desta terça-feira (16/06). Além de deslocar forte policiamento para o local, o Governo do Distrito Federal (GDF) também decidiu fechar a Esplanada dos Ministérios por dois dias, até o fim de quarta-feira (17/06).

Integrantes da inteligência do governo detectaram que integrantes do grupo 300 do Brasil estariam ameaçando o bispo.

Uma funcionária da Cúria, que preferiu não se identificar, disse que só foi informada de que a Catedral iria fechar após ameaças de remanescentes do acampamento.

“Quando cheguei pela manhã, reparei cerca de 15 pessoas ao lado da Catedral, que se dispersaram. Não presenciei nada, mas as informações são as de que eles fizeram ameaças porque queriam montar acampamento ali e foram impedidos”, resumiu a trabalhadora.

Confira as imagens: 

0

 

A própria Arquidiocese de Brasília divulgou nota em que confirma que um grupo de manifestantes pediu para que acampar na Catedral. O bispo auxiliar recusou de pronto, diz o comunicado.

Dom Marcony ocupa uma função muito importante na Igreja Católica e é um religioso ligado ao governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB). No fim de 2019, o chefe do Executivo distrital chegou a dizer que planejava a construção de um museu de arte sacra, a pedido de dom Marcony.

Últimas notícias