Família do DF se desespera com demora na autorização para compra de canabidiol

Sem a substância, Anny Fischer sofre com convulsões constantes, devido a uma síndrome rara

atualizado 01/10/2020 14:13

Facebook/Reprodução

Após dois meses enfrentando problemas com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a família da portadora da síndrome CDKL5, Anny Fischer, 11 anos, finalmente conseguiu o ofício necessário para importação do canabidiol (CBD). O órgão, no entanto, afirma que o documento já está liberado desde o final de julho.

O remédio, à base de Cannabis sativa, a maconha, e necessário para evitar que a garota tenha convulsões constantes, um dos sintomas mais comuns da CDKL5. Antes de usar o derivado da cannabis, a criança sofria cerca de 60 convulsões por dia devido à síndrome rara.

Conforme conta o pai da menina, Norberto Fischer, 52, os problemas começaram após o novo diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, assumir o comando da agência. “Em julho, a gente pediu a renovação [da permissão para compra da substância]. A Anvisa disse para todo mundo que demoraria sete dias, mas precisou de dois meses”, reclama.

Segundo ele, todos os meios possíveis foram utilizados para tentar uma resposta. “A gente mandou e-mail , mandou reclamação no Fale Conosco, tive reunião presencial com dois diretores, mas não conseguia saber se a importação tinha sido autorizada”, explica.

Após reclamações constantes, a agência mandou, nessa terça-feira (29/9), o ofício que confirma a possibilidade de a família comprar o produto. Agora, são cerca de 10 dias para que o canabidiol chegue até a criança. “Saber que sua filha poderá sofrer por causa de burocracia causada por preconceito dói o coração”, lamenta Norberto Fischer.

Com o estoque da substância já no fim, ele espera que não haja mais problemas. “Minha percepção como pai é que Anny não estaria mais entre nós se não fosse o CBD. O coração de um pai e mãe morre cada dia um pouco, a cada convulsão. Não consigo imaginar o que poderá acontecer se o cannabidiol faltar”, afirma.

 

0
Uso medicinal da Cannabis

O canabidiol é um produto químico da planta Cannabis sativa. Embora o delta-9-tetrahidrocanabinol (THC) seja o principal ingrediente ativo, o canabidiol constitui cerca de 40% dos extratos de cannabis e foi estudado para muitos usos diferentes. Pesquisas recentes exploram o uso da planta para bloquear a infeção pelo novo coronavírus.

A substância já é usada no combate da ansiedade, transtorno bipolar, distonia, epilepsia, esclerose múltipla, mal de Parkinson e esquizofrenia. Além de ajudar a tratar essas doenças, pesquisas cientificas clínicas garantem que o CBD também é efetivo contra artrite, diabetes, alcoolismo, dor crônica, transtorno de estresse pós-traumático, depressão, infecções resistentes a antibióticos e alguns distúrbios neurológicos.

O que diz a Anvisa

Procurada, a Anvisa diz que, ao contrário do divulgado, o pedido foi protocolado no dia 16 de julho de 2020 e autorizado no dia 24 de julho. Ou seja, o prazo de avaliação, segundo a agência, foi de 8 dias.

“Desde o dia 24 de julho o documento está disponível para acesso no sistema. É importante esclarecer ainda que o sistema vem funcionando normalmente e outros solicitantes tem acessado normalmente seus pedidos de autorização”, finaliza a nota.

Últimas notícias