*
 

O casal de médicos Marcos Nogueira Chagas, 45, Carla Giannine Pereira Medina, 44, e os três filhos do casal, de 7, 10 e 13 anos, que morreram com a queda de um avião na manhã de domingo (4/11), em Patos de Minas (MG), serão enterrados na manhã desta terça-feira (6) no Cemitério Municipal de Varginha, cidade onde moram parentes de Marcos.

Os corpos da família foram liberados pelo Instituto Médico Legal (IML) de Patos de Minas na segunda (5). O laudo do IML apontou que a causa da morte das cinco vítimas foi politraumatismo. Por causa da distância entre Patos de Minas e Varginha — cerca de 450km — os caixões da família só chegaram ao município mineiro após o fechamento do Cemitério Municipal do município.

O velório da família começou por volta das 18h de segunda (5) na Associação Médica de Varginha. O enterro está marcado para às 9h desta terça (6).

Veja fotos da família:

Investigação
Também na segunda (5), investigadores do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa 3), órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), chegaram ao local do acidente, próximo a uma fazenda a 1,5km do Aeroporto Municipal de Patos de Minas, para acompanhar o caso.

A equipe fotografou o avião destruído, retirou partes da aeronave para análise e ouviu relatos de testemunhas. Ainda não há conclusões a respeito da tragédia.

Segundo revelou o Metrópoles, o avião monomotor modelo RV-10 fabricado em 2013 que caiu em Patos de Minas, no último fim de semana, já havia se envolvido em outro acidente, em 2014.

Os dados do outro acidente estão na página do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). Há quatro anos, a aeronave decolou de Guanambi (BA) com destino ao Aeroclube de Aracaju (SE), transportando três passageiros. Ainda de acordo com a ocorrência, quando o piloto se preparava para realizar o pouso, após o cruzamento da cabeceira, houve a perda de controle do avião, que tocou a asa direita no solo. À época, ninguém se feriu.

Segundo informações do registro do monomotor na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a compra ou transferência do veículo teria sido feita para Marcos Chagas em 11 de julho de 2018. A aeronave comportava três passageiros e poderia voar durante o dia.

“A investigação realizada pelo Cenipa tem o objetivo de prevenir que novos acidentes com as mesmas características ocorram. A conclusão de qualquer investigação conduzida pelo Cenipa terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade do acidente”, informou a assessoria da Força Aérea Brasileira (FAB) por meio de nota.