“Expectativa é chegar a R$ 2,5 bi”, diz Ibaneis sobre privatização da CEB

Governador do DF deu a declaração durante a inauguração da Praça dos Direitos, na região administrativa do Itapoã

atualizado 13/10/2020 12:17

Governador, Ibaneis Rocha inaugura praça dos direitos no Itapoã e visita obras do empreendimento habitacional na cidadeGustavo Moreno/Especial para o Metrópoles

O governador Ibaneis Rocha (MDB) inaugurou, na manhã desta terça-feira (13/10), a Praça dos Direitos, no Itapoã. Na ocasião, o chefe do Executivo local comentou sobre a assembleia que vai decidir o futuro da Companhia Energética de Brasília (CEB), marcada para acontecer nesta tarde. “O valor que foi avaliado pelo BNDES é de R$ 1,5 bilhão, com expectativa de se chegar até R$ 2,5 bilhões, exatamente por ser um bem muito cobiçado pelos empresários da área”, comentou.

O Conselho de Administração da Companhia Energética de Brasília (CEB) convocou os acionistas para aprovar a proposta de criação da CEB Iluminação Pública e Serviços S.A. A nova subsidiária da CEB vai absorver o quadro de empregados da CEB Distribuição, empresa que será privatizada.

Segundo o edital de convocação publicado na edição desta terça-feira, do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), a 104ª Assembleia Geral Extraordinária será realizada em 28 de outubro, às 15h, pela internet.

Na semana passada, durante uma agenda em Sobradinho II, Ibaneis disse que privatização é “mais que necessária”.

“Não podemos beneficiar 300 a 400 servidores da CEB e prejudicar uma população de 3,2 milhões de pessoas. Em primeiro lugar está a população do Distrito Federal. E se essa privatização se faz necessária para melhorar a eficiência, os investimentos na cidade e os investimentos que a CEB precisa, vamos realizar, sim, com o apoio do Tribunal de Contas (TCDF)”, assinalou o emedebista.

Nessa segunda-feira, o desembargador Romeu Gonzaga da 5ª Turma Cível negou pedido de revisão do Sindicato dos Urbanitários e manteve a Assembleia-Geral Extraordinária (AGE) para esta terça.

“A decisão do desembargador só confirma o posicionamento muito bem fundamentado do juiz (da 23ª Vara). O processo está impecável, sem margem para fragilidade jurídica. O argumento de que falta análise do GDF é absolutamente inverídico, uma vez que o GDF estuda o caso há um ano”, disse, ao Metrópoles, o presidente da CEB, Edison Garcia, logo após a decisão judicial ser divulgada.

Praça dos Direitos

A agenda do governador desta terça ocorreu na Quadra 203 da região administrativa. O espaço terá, entre outras funções, o objetivo de receber ações de saúde, esporte e lazer à comunidade.

“Temos o prazer de trabalhar pela população do DF. Todos os nossos secretários de governo levantam cedo para fazer entregas. É esse trabalho que nos honra todos os dias e nos dá força para levantar e fazer entregas para a população. Essa é a nossa missão”, comentou Ibaneis.

A praça tem 7.511,83 m² e abriga uma quadra poliesportiva, vestiários, duas salas de ginástica, pista de caminhada e um campo sintético. A expectativa é que seja um espaço de inclusão social para pessoas em vulnerabilidade no Itapoã. As ações serão desenvolvidas pelas secretarias de Educação, Saúde, Juventude, Esporte e Lazer, Cultura e Economia Criativa, além da Administração Regional do Itapoã.

“Esse é um espaço de altíssimo nível onde crianças, jovens e idosos poderão praticar suas atividades e isso importa muito porque integra toda a comunidade e faz com que exista espaços públicos em regiões muito carentes. Sabemos que o Itapoã foi um bairro criado de forma irregular e estamos trabalhando no processo de regularização”, disse o governador, durante a solenidade.

0

 

“A praça é nossa”

O administrador do Itapoã também marcou presença na solenidade de inauguração da Praça dos Direitos. Marcus Cotrim disse que trabalha para fazer a diferença na região administrativa. “Sabemos das dificuldades dessa comunidade, mas o Distrito Federal está buscando soluções. Na qualidade de administrador dessa região, eu e minha equipe resolver reivindicações antigas de fazer melhores condições para a população. A praça é nossa”, disse Cotrim.

À frente da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), Marcela Passamani comenta que a ideia é dar à comunidade o que ela merece. “Sabemos que toda a população esperava por esse momento. A partir de agora, todos poderão usufruir desse espaço. A nossa ideia é possibilitar que as comunidades possam usar tudo o que elas merecem e têm direito. Queremos tornar essa praça uma referência no DF. De acessibilidade e cidadania”, afirmou ela.

Todas as ações previstas para ocorrem na praça serão desenvolvidas pelas secretarias de Educação, Saúde, Juventude, Esporte e Lazer, Cultura e Economia Criativa, além da Administração Regional do Itapoã.

Itapoã Parque

Após inaugurar a Praça dos Direitos, o governador visitou o empreendimento habitacional Itapoã Parque, ao lado de José Celso Gontijo, proprietário da empresa de engenharia responsável pelas obras.

“Esta é a maior obra que nós temos hoje para moradia popular. A previsão é de mais de 12,1 mil moradias. As obras estão em fase adiantada e esperamos, ainda no nosso governo, entregar pelo menos a metade dessas moradias para a população”, disse.

A previsão para construção é de 76 condomínios com cerca de nove prédios cada um. Entre equipamentos públicos haverá a construção de UBS, quatro escolas, posto policial entre outros serviços.

Últimas notícias