metropoles.com

Ex-esposa e filha de sogro de cabeleireira morta também estão desaparecidas

Um boletim de ocorrência foi registrado na 2ª DP indicando o sumiço de Cláudia Regina e Ana Beatriz. Elas estão desaparecidas desde 13/1

atualizado

Compartilhar notícia

Reprodução/Arquivo Pessoal
Cláudia Regina Marques de Oliveira e Ana Beatriz Marques de Oliveira, ex-esposa e filha de Marcos Antônio Lopes de Oliveira, suspeito de envolvimento no desparecimento e assassinato de uma família inteira. As duas estão desaparecidas - Metrópoles
1 de 1 Cláudia Regina Marques de Oliveira e Ana Beatriz Marques de Oliveira, ex-esposa e filha de Marcos Antônio Lopes de Oliveira, suspeito de envolvimento no desparecimento e assassinato de uma família inteira. As duas estão desaparecidas - Metrópoles - Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

O mistério que ronda o desaparecimento de pessoas de uma mesma família do Distrito Federal ganhou um novo capítulo. Nessa segunda-feira (16/1), um boletim de ocorrência foi registrado na 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte) indicando o desaparecimento de Cláudia Regina Marques de Oliveira e de Ana Beatriz Marques de Oliveira, ex-esposa e filha de Marcos Antônio Lopes de Oliveira.

Segundo informações contidas no registro, mãe e filha teriam sumido em 13 de janeiro, assim como todos os outros desaparecidos. Familiares, no entanto, só tomaram conhecimento da ausência das duas três dias depois.

Com a nova atualização, o número de pessoas que se conheciam e sumiram sobe para 10. São eles: a cabelereira Elizamar da Silva, 39; o marido dela, Thiago Gabriel Belchior, 30; os três filhos do casal: os gêmeos Rafael e Rafaela da Silva, 6, e Gabriel da Silva, 7; a irmã de Thiago Gabriel, Gabriela Belchior de Oliveira, 25; e os pais deles, Renata Juliene Belchior, 52; e Marcos Antônio Lopes de Oliveira, 54. Além de Cláudia Regina, ex-esposa de Marcos e a filha do ex-casal, Ana Beatriz.

Segundo depoimento de Gideon e Horário, suspeitos de participarem da chacina, as mortes das seis pessoas foram encomendadas por Thiago (marido de Elizamar) e o pai, Marcos (sogro de Elizamar). Logo após os assassinatos, conforme relatado à PCDF,  os homens teriam fugido com Cláudia, e a filha, Ana Beatriz. A primeira, conforme relatado por um dos detidos, seria amante de Marcos.

Marcos e Thiago, então, de acordo com um suspeito, arquitetaram o crime, pois queriam subtrair R$ 100 mil de Elizamar e R$ 400 mil de Renata. As informações do caso foram divulgadas pelo delegado-chefe da 6ª DP (Paranoá), Ricardo Viana, em coletiva realizada no início da noite terça-feira (17/1).

Apesar dos suspeitos de terem participado dos homicídios indicarem pai e filho como os mandantes do crime bárbaro, a polícia não descarta que ambos também sejam vítimas. Por isso, a linha de investigação ainda trata Thiago e Marcos como desaparecidos.

Até o momento, três pessoas foram presas: Gideon, Horário e Fabrício.

O terceiro preso

A PCDF prendeu na noite dessa terça (17/1) um terceiro envolvido no crime que resultou no desaparecimento e possível homicídio de seis pessoas de uma mesma família na capital. Fabricio Silva Canhedo, 34 anos, teria sido responsável por vigiar as vítimas mantidas em cativeiro em Planaltina.

O homem é vendedor e foi contratado por R$ 2 mil para realizar o trabalho. Para ele, os sequestradores falaram que duas vítimas “ficariam felizes”, mas as levaram para a morte.

 

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comDistrito Federal

Você quer ficar por dentro das notícias do Distrito Federal e receber notificações em tempo real?