Ex-deputado distrital Wasny de Roure decide se filiar ao PDT

Político tinha deixado o PT em março deste ano, ao não conseguir uma vaga no Senado Federal

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 28/10/2019 19:59

O ex-deputado distrital Wasny de Roure decidiu se filiar ao PDT. Após a derrota na campanha ao Senado Federal, em 2018, ele abandonou as fileiras do Partido dos Trabalhadores (PT). Motivado pelas bandeiras voltadas para o trabalho e a educação, escolheu voltar para a vida pública na legenda moldada pelos ideais de Leonel Brizola.

“Já tomei a decisão, está pacificado. Vou me filiar ao PDT”, assinalou Wasny. O ex-deputado disputou oito eleições, elegendo-se para a Câmara Legislativa por seis vezes. Além de presidir a Casa, ocupou o posto de secretário de Fazenda. Por questões pessoais e familiares, ainda não assinou oficialmente a filiação.

Segundo Wasny, o sucesso no PDT depende da capacidade de dialogo direto com a população, especialmente no patamar nacional, em que Ciro Gomes (PDT) mira candidatura ao Palácio do Planalto.

Wasny garante não guardar rancor do PT, mas diz que a “página está virada”. “Me senti sem significado no próprio partido. Minha campanha para o Senado recebeu R$ 256 mil. Um candidatura para a Câmara dos Deputados teve R$ 1 milhão. Recém-chegados disputaram com R$ 400 mil. Foi desrespeitoso. Não pelo valor, mas pelo tratamento”, criticou.

“O PT tem que fazer encontro com a história do Brasil. É preciso uma profunda autocrítica. Não é justificar, mas dar explicações e enfrentar a vida como ela é. E não achar que as pessoas têm de pensar de um jeito. Em Brasília, o partido deixou muito a desejar”, prosseguiu, ressaltando, entretanto, que considera “injusta, lamentável e injustificável” a prisão do ex-presidente Lula (PT).

Últimas notícias